Ampliar imagem | Tamanho original
Para se aprofundar na forma como pensamos o futuro das cidades, o ArchDaily se propôs a falar sobre resiliência no mês de julho. Como estamos nos preparando para desastres ou disrupções do sistema, este foi o tema principal de uma conversa com a bióloga Alessandra Araujo, fundadora da bio-inspirations e professora de Biomimética da Architectural Association Amazon Visiting School e do Master Ecological Design Thinking da Schumacher College, que trouxe sua visão para ampliar o debate da resiliência no campo da Arquitetura e Urbanismo através de um outro ponto de vista: a natureza.  O que é a resiliência na biologia e o que podemos aprender deste conceito na produção do ambiente construído? A resiliência em sistemas naturais diz sobre a capacidade que o ecossistema possui em manter suas conexões e operações após um distúrbio. Sua qualidade se dá pelo entendimento da unidade que tem a inteligência de se regenerar e que esteja conectada em fluxos de troca. Gosto de fazer uma analogia com as florestas, pois nos enganamos ao pensar que ela é apenas uma fonte de recursos, quando na verdade é uma Universidade Viva, repleta de parâmetros de desenvolvimento que navegam por distintas complexidades com diferentes nichos de ocupação e com trocas constantes de energias entre extratos que geram uma capacidade de entropia e reciclagem de nutrientes através da biodiversidade, fundamentais para sua resiliência. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar