Ampliar imagem | Tamanho original
A acessibilidade universal na arquitetura, ou seja, a possibilidade de todas as pessoas acessarem e habitarem um espaço independentemente de suas capacidades cognitivas e / ou físicas, é um assunto que não pode mais ser deixado de fora da discussão. E ainda que pequenas operações possam fazer a diferença, o ideal é pensar os espaços desde o início de acordo com as diretrizes do desenho universal.No caso das cozinhas, uma série de novas tecnologias surgiram para aumentar o conforto e a eficiência de nossos espaços cotidianos, multiplicando suas funções e permitindo um melhor aproveitamento da superfície disponível. Vamos rever as últimas inovações apresentadas por Häfele. Considerações básicas Embora cada país tenha normativas detalhadas a este respeito, existem medidas mínimas que devemos respeitar para garantir a acessibilidade da nossa cozinha. Por exemplo, para a passagem livre e movimento de uma cadeira de rodas, as circulações devem ter uma largura mínima de 80 cm, embora seja recomendado aproximar-se de 120 cm. Os artigos e utensílios devem estar ao alcance direto do usuário, incorporando alças ou sistemas de abertura fáceis de abrir e torneiras com alavancas em vez de chaves (em casos extremos, use torneiras gerontológicas). A iluminação geral deve ser estável e uniforme, misturando luz natural e artificial, tanto quanto possível, e luzes focadas podem ser adicionadas em áreas específicas e adicionar sistemas automatizados programáveis e sensores de movimento. Recomenda-se a instalação de pavimentos antiderrapantes e a escolha de materiais seguros, fáceis de limpar e, sempre que possível, antibacterianos. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar