Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos

“Melting Souls” de François-Xavier Destors vence premio do Arquiteturas Film Festival

“Melting Souls” de François-Xavier Destors vence premio do Arquiteturas Film Festival

O filme “Melting Souls” de François-Xavier Destors venceu o galardão de Melhor Documentário na 7ª edição do Arquiteturas Film Festival, que decorreu de 4 a 9 de junho no Cinema São Jorge, em Lisboa.

O Júri, composto pela arquiteta Ana Tostões, Presidente do DOCOMOMO Internacional, o geógrafo Álvaro Domingues, a arquiteta Isabel Barbas, o realizador Gerrit Messiaen, a artista e realizadora Petra Noordkamp e o arquiteto Tiago Oliveira, em representação da Secção Regional Sul da Ordem dos Arquitectos (OASRS), considerou-o um “filme-documentário que nos coloca perante um paradoxo: da impossibilidade de nos vermos a viver em Norilsk, à sensação de que poderíamos ter ali a nossa experiência mais extrema".

"Do corte à montagem, das sequências fílmicas à intriga subterrânea, este filme reflete sobre as transformações na Rússia de Putin e a vida numa sociedade em que não se respira. A banda sonora do jovem músico e residente de Norilsk aumenta a complexa relação amor-ódio", salientaram os jurados.

Cortesia de Arquiteturas Film Festival
Cortesia de Arquiteturas Film Festival

Na categoria de Novos Talentos, o júri premiou "IRIS" de Lea Najjar, que conta como um "projeto concebido por arquitetos oferece ao pescador uma hipótese de vida mais digna". Esse projeto ilumina a "vida desse amante do mar, desse guardião da memória que as megalópoles estão metendo a um canto, esquecendo-os. A beleza das imagens de Lea Najjar homenageia vidas poéticas em risco de desaparecerem", salientou o júri.

Um prémio ex-aequo foi atribuído na categoria de Competição Experimental a duas películas: "Atlas of the Wounded Buildings” de Thadeusz Tischbein – um filme “ao mesmo tempo violento e poético" - e “Landing” de Shirin Sabahi, que o júri considerou surpreender "pela abordagem reflexiva sobre os aspetos inerentes à construção de um edifício corporativo icónico".

Na categoria Ficção foi “Lá vem o Dia (Here comes the Day)” de Mercês Tomaz Gomes, um filme “performativo, provocatório e incómodo" que mereceu a preferência do júri. "Lá Vem o Dia" é uma "alegoria da vida contemporânea (…) que põe em questão os encontros e desencontros das relações humanas", lê-se no relatório do júri.

O voto do público foi para o filme “The Proposal” de Jill Magid.

Ao longo de seis dias, a sétima edição do Arquiteturas Film Festival apresentou nas salas do Cinema São Jorge, 62 filmes, 90 por cento dos quais estreias portuguesas e algumas mundiais, assim como um workshop, uma visita guiada, um atelier infantil e uma masterclass.

Cortesia de Arquiteturas Film Festival
Cortesia de Arquiteturas Film Festival
Cortesia de Arquiteturas Film Festival
Cortesia de Arquiteturas Film Festival
Cortesia de Arquiteturas Film Festival
Cortesia de Arquiteturas Film Festival
Sobre este autor
Cita: Pedro Vada. "“Melting Souls” de François-Xavier Destors vence premio do Arquiteturas Film Festival" 16 Jun 2019. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/918970/melting-souls-de-francois-xavier-destors-vence-premio-do-arquiteturas-film-festival> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.