Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Artigos
  3. Como especificar o vidro correto em um projeto de arquitetura

Como especificar o vidro correto em um projeto de arquitetura

Como especificar o vidro correto em um projeto de arquitetura
Como especificar o vidro correto em um projeto de arquitetura, Town House in Antwerp / Sculp[IT]. Image © Luc Roymans
Town House in Antwerp / Sculp[IT]. Image © Luc Roymans

Atualmente, a tecnologia dos vidro evoluiu para fornecer soluções específicas e eficazes para cada projeto arquitetônico. Há tantas opções disponíveis que é necessário estudar as propriedades dos diferentes produtos, bem como as condições particulares que influenciarão as janelas e portas envidraçadas que estamos projetando.

Quais variáveis devemos considerar e priorizar ao escolher os vidros de nossos projetos? Como equilibrar estética com funcionalidade e eficiência? Conversamos com os especialistas técnicos da Cristales Dialum para mergulhar no complexo mundo do vidro e, assim, entender melhor o caminho que devemos seguir para especificar corretamente e garantir a qualidade de vida das pessoas que habitarão nossos projetos.

Alto El Golf / Handel Architects. Image © Nico Saieh
Alto El Golf / Handel Architects. Image © Nico Saieh

O básico: dimensões e tipos de vidro

As placas de vidro são geralmente vendidas em um tamanho padrão de 2,5 x 3,6 metros. A partir dessa medida, o vidro é cortado para fabricar os elementos exigidos por cada projeto. Esse vidro pode ser incolor, o mais básico, ou incluir certos recursos que melhorarão seu comportamento térmico, visual, acústico e muitos outros.

Embora menos utilizadas, também existem placas de tamanho Jumbo, de aproximadamente 5,0 x 3,0 metros, embora existam fabricantes - como a Dialum - que pode fabricar placas de até 6,0 x 3,3 metros, atingindo quase 19 metros quadrados e cerca de uma tonelada de vidro.

As placas que excedem os 4,5 metros de largura e 2,5 metros de altura poderiam ser consideradas, então, cristais monumentais.

Cortesía de Dialum
Cortesía de Dialum

Cristais Monumentais

Utilizados principalmente em pisos térreos, em salões ou lobbies, os Cristais Monumentais permitem oferecer soluções limpas e quase imperceptíveis devido ao seu grande tamanho. Para alcançar essa sutileza, é necessário escolher perfis que resistam mecanicamente ao peso do vidro e que, por sua vez, não sejam muito invasivos. Devido ao seu menor custo, o material mais utilizado para fabricar perfis é o alumínio. No entanto, para projetos com vidro de mais de 6 metros de altura, o alumínio deve ser reforçado com aço, fazendo com que sua estrutura aumente de tamanho.

Que material nos permite gerar perfis delgados, mas com inércia suficiente para suportar todos os esforços de vidros de grandes dimensões? O aço

Town House in Antwerp / Sculp[IT]. Image © Luc Roymans
Town House in Antwerp / Sculp[IT]. Image © Luc Roymans

Perfis Metálicos

A madeira foi o primeiro material a ser usado como caixilharia. No início do século XX, coincidindo com o racionalismo arquitetônico e a industrialização, o aço foi incorporado em janelas e portas, para ser substituído posteriormente pelo surgimento de novas tecnologias em alumínio e PVC. Hoje, a tendência retorna ao aço, que evoluiu para minimizar suas seções sem perder sua resistência

Cortesía de Jansen
Cortesía de Jansen

Três vezes mais rígidos que o alumínio, os perfis de aço Jansen podem integrar uma estética clássica, se você quiser, ou completamente moderna, e trabalhar em conjunto com a especificação de um bom vidro. Para conseguir grandes modulações envidraçadas, como é o caso dos cristais monumentais, os perfis de alumínio devem ser reforçados e o resultado é mais complexo e volumoso. O aço acompanha os vidros de grandes dimensões através de perfis limpos e simples.

Cortesía de Jansen
Cortesía de Jansen

Além disso, a capacidade de soldagem do aço torna possível evitar uniões articuladas, eliminando problemas como flambagem e permitindo o desenho de formas complexas com menos esforço.

Cortesía de Jansen
Cortesía de Jansen

Como escolher o vidro mais eficiente para cada projeto específico?

A primeira coisa é entender as reais necessidades do projeto. Podemos agregar todas as características e propriedades disponíveis em nossas janelas, mas elas podem se tornar medidas exageradas - e caras - que não farão uma diferença real em seu comportamento final. Mesmo com a intenção de ser muito eficiente, poderíamos escolher diferentes tipos de vidro para cada fachada específica, mas o projeto poderia se tornar mais complexo do que o necessário.

Recomenda-se, então, procurar uma solução integrada que responda às condições prevalecentes no entorno, por exemplo, radiação solar agressiva ou frio intenso.

Cortesía de Dialum
Cortesía de Dialum

A importância do vidro duplo hermético (DVH) em todos os projetos arquitetônicos

Antes de procurar soluções mais específicas, é importante entender que o vidro duplo hermético é atualmente um mínimo necessário para garantir o bom comportamento das superfícies envidraçadas em um projeto arquitetônico, permitindo alcançar a transmitância térmica e o controle solar requeridos pelo projeto, dependendo do local onde está localizado e a orientação das fachadas. Em aplicações muito especiais, podem ser usados vidros monolíticos, mas eles devem ser laminados ou tratados termicamente.

Proteção Solar

Seletividade do vidro

Os raios solares fornecem energia térmica e energia luminosa. Em áreas de sol excessivo procuramos evitar o superaquecimento dos interiores, permitindo a passagem de energia luminosa, mas evitando a passagem do calor.

Para isso, devemos estudar a seletividade dos vidros, escolhendo um vidro que filtre e 'selecione' as porcentagens específicas de luz e calor que serão transmitidas para o espaço interno. Quanto mais seletivo for o vidro, mais limpa a luz natural e menor quantidade de calor passará. É três vezes mais caro esfriar do que aquecer, então o nível de proteção solar do vidro é um fator essencial a ser avaliado.

Cortesía de Dialum
Cortesía de Dialum

Proteção Térmica

Vidro duplo hermético

Em áreas frias, procuramos principalmente manter o calor no interior. O fluxo de energia térmica se move da zona quente para a zona mais fria, e se tivermos uma janela, o calor começará a passar através dela. Quanto calor perdemos? Depende de quão boa é a nossa solução de janela.

Se escolhermos um vidro monolítico (composto por uma única folha de vidro), perderemos um certo número de Watts por cada metro quadrado de janela. Esse número pode ser reduzido pela metade se instalarmos um vidro duplo hermético básico. Uma economia de 50% é gerada, então. No entanto, a tecnologia é ainda mais avançada. Usando vidros Low-E, de baixa emissividade, você pode alcançar até 80% de economia.

Cortesía de Dialum
Cortesía de Dialum

Proteção Acústica

Laminado de Polivinil

Em áreas de alto ruído, o vidro duplo hermético é eficaz para frequências altas. No entanto, seu comportamento pode ser melhorado ao incorporar lâminas acústicas de polivinil, também silenciando baixas frequências (zumbidos permanentes, menos perceptíveis, mas muito irritantes).

Em casos extremos, como aeroportos, a solução anterior pode ser potencializada aumentando a largura da câmara espaçadora, atenuando um volume muito maior de decibéis.

Cortesía de Dialum
Cortesía de Dialum

Proteção Anti Vandalismo e para Segurança

Vidros Laminados

O laminado, como tal, consiste em dois vidros com um filme plástico em seu interior, proporciona maior segurança contra o vandalismo. Para quebrar um desses vidros, você deve quebrar o primeiro copo, quebrar o plástico e depois quebrar o segundo vidro. Isto é especialmente importante em claraboias ou esquadrias em telhados, onde é essencial garantir a segurança das pessoas no interior.

Os pisos de vidro, por outro lado, usam múltiplas camadas de laminado para suportar o peso das pessoas que andam sobre elas.

Cortesía de Dialum
Cortesía de Dialum

Resistência Mecânica e ao Superaquecimento

Vidro Temperado

O vidro é pesado, mas frágil. Os tratamentos térmicos, como a têmpera ou termoendurecimento, permitem aumentar a resistência mecânica do vidro em até 5 vezes. Isso é eficaz para casos como portas envidraçadas, que recebem esforços permanentes ao abrir ou fechar.

Em edifícios muito expostos ao sol, que recebem calor ao longo do dia, o sobreaquecimento das suas fachadas envidraçadas pode levar à quebra. O temperado permite aumentar o nível de temperatura que os vidros resistem.

Cortesía de Dialum
Cortesía de Dialum

Design e Controle Solar

Serigrafados / Impressão Digital

A impressão de superfícies, ou impressão digital, consiste na aplicação de uma camada de tinta que é impregnada no vidro através do calor. Pode ser escolhido para temas de design, incorporando imagens sobre o vidro ou por razão de desempenho solar. Por exemplo, se pontos brancos forem adicionados no vidro, estes irão gerar sombra para o espaço interno.

No caso de lucarnas, a técnica do ponto duplo pode ser usada, pintando pontos em uma certa porcentagem do vidro (por exemplo, 50% da superfície envidraçada). O interessante dessa técnica é que os pontos são pintados de branco para o exterior, refletindo a energia do sol e impedindo sua entrada, e negros por dentro, enganando o olho humano e liberando totalmente os pontos de vista.

A análise das particularidades de cada projeto fornecerá a solução mais eficaz para suas fachadas. Em torres altas, por exemplo, são geralmente escolhidas soluções que mesclam o Vidro Hermético Duplo (DVH), o laminado e o temperado.

Cortesía de Dialum
Cortesía de Dialum

Resistência ao Fogo

Vidro Antichamas / Vidrio Corta-fogo

Existem dois tipos principais de vidro. Em primeiro lugar o antichamas, que permite deter o fogo e os gases tóxicos (que costumam produzir a morte de pessoas em um incêndio), e depois, o corta-fogo, que permitem deter o fogo, os gases tóxicos e, além disso, o aumento de temperatura. Este último atua como uma barreira que absorve a porcentagem de calor necessária para impedir sua transferência, durante o tempo requerido (F30, F60, F90, F120).

Cortesía de Dialum
Cortesía de Dialum

Considerações importantes

Importância das Normativas

As normas fornecem um marco regulador para desenvolver processos corretamente, desde a fabricação de produtos até o projeto e construção de projetos arquitetônicos, evitando decisões arbitrárias.

Na Argentina, o padrão IRAM, aplica-se, no Chile, a NCH, na Europa, a EN, nos Estados Unidos, a ASTM, e assim por diante, em todos os países. Dentro de cada padrão, existem ramos ainda mais específicos que regulam a aplicação de cada solução em particular, e existem até certificações para produtos de acordo com testes internacionais, como as certificações ANSI: SGCC (para vidro laminado) e IGCC (para DVH).

Se os regulamentos que correspondem ao nosso projeto são imprecisas ou deixam dúvidas em alguns pontos, é possível fazer referência às normativas em vigor na Europa ou nos Estados Unidos, cumprindo assim as normas locais e garantindo a eficácia das soluções escolhidas. Em qualquer caso, é essencial rever as especificações técnicas dos produtos escolhidos e contar com o apoio dos especialistas das empresas fornecedoras.

Cortesía de Dialum
Cortesía de Dialum

Recomendações fundamentais de projeto

  • Confie no conselho de especialistas: os arquitetos não são necessariamente especialistas em vidro, e nós não precisamos ser. Escolher a solução errada pode ter consequências desastrosas a longo prazo, por exemplo, custos excessivos de refrigeração e aquecimento.
  • Entender o projeto e as características de seus vidros: localização, orientação, função, horas específicas de uso, entre outras variáveis.
  • Quanto maior a janela, mais grosso o vidro deve ser. Ou, pelo menos, você deve ter os tratamentos adequados para garantir sua resistência mecânica.
  • Não se deixe levar (apenas) pela estética do vidro, e verifique se sua aparência é mantida quando instalado. As condições específicas do projeto podem variar sua aparência ou comportamento.

Town House in Antwerp / Sculp[IT]. Image © Luc Roymans
Town House in Antwerp / Sculp[IT]. Image © Luc Roymans

* A fábrica da Dialum em Santiago do Chile pode processar praticamente todos os tipos de vidro existentes atualmente e é certificada para importar e trabalhar vidros de diferentes propriedades, de todo o mundo.

Aprofundar seus produtos através dos seguintes links:

Sobre este autor
Cita: Franco, José Tomás. "Como especificar o vidro correto em um projeto de arquitetura" [Cómo especificar un buen vidrio en un proyecto de arquitectura] 31 Mai 2019. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/918163/como-especificar-o-vidro-correto-em-um-projeto-de-arquitetura> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.