Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Artigos
  3. O retorno do granilite na arquitetura: fabricação, instalação e exemplos notáveis

O retorno do granilite na arquitetura: fabricação, instalação e exemplos notáveis

O retorno do granilite na arquitetura: fabricação, instalação e exemplos notáveis
Focal Length / RENESA Architecture Design Interiors Studio. Image © Suryan//Dang
Focal Length / RENESA Architecture Design Interiors Studio. Image © Suryan//Dang

Os revestimentos em granilite são produzidos através da base cimentícia (areia, água e cimento) com grânulos de pedras naturais diversas, e podem ser aplicados em qualquer tipo de superfície horizontal ou vertical. A técnica, produzida a partir de um processo totalmente artesanal, foi amplamente aplicada nos edifícios modernos espalhados por todo o mundo e tem como sua principais vantagens sua durabilidade, resistência (à água e abrasão) e fácil manutenção sendo comumente aplicado em pisos de casas e halls de prédios residenciais e comerciais.

Atualmente, apresenta-se como uma forte tendência da arquitetura contemporânea. É possível confirmar isso observando as diversas marcas que tem apresentado produtos para casa e decoração fabricados a partir da técnica ou que, pelo menos, fazem referências à ela. 

Focal Length / RENESA Architecture Design Interiors Studio. Image © Suryan//Dang Casa Salmen / Office S&M. Image © French + Tye Apartamento Copan / Sabiá Arquitetos. Image © Pedro Vannucchi Parisienne / Miriam Barrio Estudio. Image © Maria Pujol + 24

Apartamento Copan / Sabiá Arquitetos. Image © Pedro Vannucchi
Apartamento Copan / Sabiá Arquitetos. Image © Pedro Vannucchi
Nagasawa Coffee / ARII IRIE ARCHITECTS. Image © Kai Nakamura
Nagasawa Coffee / ARII IRIE ARCHITECTS. Image © Kai Nakamura
Estudio de Yoga / Kostas Chatzigiannis Architecture. Image © Joshua Tintner
Estudio de Yoga / Kostas Chatzigiannis Architecture. Image © Joshua Tintner

Pela diversidade dos objetos acima fica possível perceber que a estética do granilite é bastante variada. Seu resultado final é a soma do tamanho dos grânulos, tipo de acabamento polido ou lavado, tipo de pedra e cores de corante escolhidas.

© ArchDaily
© ArchDaily
Parisienne / Miriam Barrio Estudio. Image © Maria Pujol
Parisienne / Miriam Barrio Estudio. Image © Maria Pujol

Aplicação

Há dois tipos de revestimento granilite: o polido e o lavado ("fulget") e ambos podem ser aplicados em qualquer tipo de superfície seja ela plana ou curva, muito mais comum instalado em pisos e paredes tanto de áreas internas e secas (indicado granilite polido) como externas e molhadas quando recomenda-se o granilite lavado. 

La casa Carlton / Tom Robertson Architects. Image © Derek Swalwell
La casa Carlton / Tom Robertson Architects. Image © Derek Swalwell

Fabricação

O granilite é um tipo de revestimento moldado in loco. Isso significa que a equipe de fornecedores executa o produto em obra e imediatamente o aplica na superfície desejada!  É importante esclarecer que apesar de ser uma massa instalada in loco ela não é capaz de corrigir qualquer imperfeição existente na camada niveladora.

Arquia / RipollTizon. Image © José Hevia
Arquia / RipollTizon. Image © José Hevia

Composição

É constituído por uma argamassa de cimento branco e/ou comum com mármore moído no traço (50:80 kg) para pisos e (25:40:80 kg) para paredes (neste caso acrescenta-se cal). A utilização ou não de corantes depende da indicação do projeto. De acordo com as especificações de cada projeto é possível optar por agregados diferentes como arenito, cristal e outras pedras. Há recomendações de cada fornecedor a respeito da resistência de cada uma delas.

Focal Length / RENESA Architecture Design Interiors Studio. Image © Suryan//Dang
Focal Length / RENESA Architecture Design Interiors Studio. Image © Suryan//Dang

Instalação

Além das precauções indicadas na instalação da maioria dos revestimentos existentes no mercado como: cuidado com a declividade (nas áreas molhadas) e planicidade (em áreas secas), desníveis entre ambientes, rugosidade superficial, aderência à base, resistência superficial ao impacto etc, as superfícies que receberão o revestimento granilite deverão atentar para um passo-a-passo diferente no caso de pisos ou paredes.

Apartamento Copan / Sabiá Arquitetos. Image © Pedro Vannucchi
Apartamento Copan / Sabiá Arquitetos. Image © Pedro Vannucchi

Pisos

  1. Preparar o lastro de concreto, no nível correspondente ao piso acabado, menos a espessura da camada do contra-piso/regularização e a espessura de granilite, de acordo com a granulometria da pedra determinada em projeto;
  2. Limpar e molhar bem o lastro de concreto;
  3. Aplicar a camada de contra-piso/regularização, constituída por uma argamassa de areia grossa lavada e cimento no traço (4:1 kg), bem úmida, de 3 a 5 cm de espessura. Ela deverá ser bem compactada, com acabamento sarrafeado (rústico), resultando em superfície plana, sem saliências, depressões ou cavidades, já com os desníveis necessários.

© Ambiente Familiar
© Ambiente Familiar

Paredes

  1. Limpar e molhar bem o chapisco;
  2. Aplicar a camada do emboço/regularização, constituída por uma argamassa de areia grossa lavada e cimento no traço (5:1 Kg), bem úmida, de 3 a 5 cm de espessura. Ela deverá ser bem batida com acabamento sarrafeado (rústico), resultando plana, aprumada, sem saliências, depressões ou cavidades.

Focal Length / RENESA Architecture Design Interiors Studio. Image © Suryan//Dang
Focal Length / RENESA Architecture Design Interiors Studio. Image © Suryan//Dang

Etapas de instalação

  1. O contra piso/emboço deverá estar limpo e lavado.
  2. Divisores plásticos ou metálicos são posicionados para posterior fundição de argamassa de granilite para ser nivelado e aprumado ao acabamento do piso/parede (a altura dos divisores deve ser determinada conforme granulometria das pedras ou conforme indicado no projeto).
  3. Um detalhe importante é que os revestimentos em granilite devem ser executados em painéis de 1,20 x 1,20 metro, no  máximo, limitados por divisores em perfilados retangulares de latão, plástico, alumínio ou de madeira (mas esses precisarão ser retirados posteriormente) para junta seca. Indica-se uma modulação de 1,00 x 1,00 metro pois esta garante melhor planicidade do revestimento.
  4. Após a colocação dos divisores, a camada regularizada (contrapiso / emboço) deverá ser muito bem molhada para garantir a ancoragem do revestimento à base.
  5. A argamassa de granilite será despejada e desempenada sobre a base, e, no momento certo de pega, deverá ser providenciado o espalhamento superficial da granilha adicional.
  6. Em seguida, a argamassa de granilite será alisada com desempenadeira de aço.

Arquia / RipollTizon. Image © José Hevia
Arquia / RipollTizon. Image © José Hevia

Sobre os acabamentos

Para o Acabamento Polido

Após um intervalo de cura (5 a 7 dias), deverão ser feitos os primeiros polimentos mecânicos. Depois, o piso deverá ser  completamente limpo, para o estucamento com cimento, corrigindo eventuais falhas. Aguardar outros 2 dias, para retirar o excesso de estuque. Um último polimento manual ou mecânico (dependendo dole cada caso) será necessário.  Para aplicação de resina o piso deverá estar 100% limpo e seco. O prazo estimado para início de aplicação é de 05 a 07 dias (resina acrílica) e 20 a 22 dias (resina poliuretano), para a “cura do cimento”.

Nutrisa / Cadena Concept Design. Image © The Raws
Nutrisa / Cadena Concept Design. Image © The Raws

Para o Acabamento Lavado (Fulget)

Depois de um intervalo de cura, o revestimento será esponjado para retirar o excesso de cimento. Após 2 dias, o revestimento deverá ser limpo com ácido para a limpeza das pedras na sua superfície.

Café cake and breakfast / Hotels Only. Image © Dmitrii Tsyrenshchikov
Café cake and breakfast / Hotels Only. Image © Dmitrii Tsyrenshchikov

Manutenção e limpeza

Granilite Polido

A limpeza regular deverá ser feita com detergentes neutros ou sabão em pó. Nunca utilizar cloro, cândida ou outros ácidos. A freqüência de aplicação de cera será determinada em função do uso e tráfego do local. Após a aplicação da cera, executar o polimento com enceradeira, para melhor cristalização.

Granilite Lavado (Fulget)

A limpeza com lava-jato deverá ser usado com o bico regulado para jato em leque, jamais pontual, com detergentes neutros ou sabão em pó. É contraindicada a utilização do cloro, cândida ou outros ácidos.

Apartamento EM / COA Assossiados. Image © Pedro Vannucchi
Apartamento EM / COA Assossiados. Image © Pedro Vannucchi

Observações importantes

Como já dito anteriormente, trata-se de um revestimento produzido e instalado de forma 100% artesanal, por isso, é importante frisar que independente da boa execução do serviço poderão ocorrer trincas de alguma forma, em quantidades e locais diferentes. Também poderão apresentar problemas como: tabeiras e rodapés ligeiramente escurecidos; e variação na tonalidade do mármore, do quartzo, do granito granulados, e do cimento.

Duca caffe & apericena / OHIO Estudio + Estudio Ripani. Image © Javier Agustín Rojas
Duca caffe & apericena / OHIO Estudio + Estudio Ripani. Image © Javier Agustín Rojas
La casa Carlton / Tom Robertson Architects. Image © Derek Swalwell
La casa Carlton / Tom Robertson Architects. Image © Derek Swalwell

Referências

[1] "Especificações Técnicas Granilite e Fulget", disponível em <https://casafranceza.com.br/granilite-e-fulget/>. Acesso 14 maio 2019.

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Cita: Audrey Migliani. "O retorno do granilite na arquitetura: fabricação, instalação e exemplos notáveis" 30 Mai 2019. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/917785/granilite-entenda-melhor-a-fabricacao-e-o-uso-deste-revestimento-moderno-e-ao-mesmo-tempo-contemporaneo> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.