Ampliar imagem | Tamanho original
Porventura não haverá conceito tão mais genérico e abrangente quanto impessoal e difícil de consensualizar como o meio ambiente (fixando a atenção na própria definição de meio ambiente da Conferência das Nações Unidas – o meio ambiente é o conjunto de componentes físicas, químicas, biológicas e sociais capazes de causar efeitos diretos e indiretos, em prazo curto ou longo, sobre os seres vivos e as atividades humanas – e descobrimos, de imediato, que a pacificação de um suporte conceitual comum e assertivo é difícil de atingir e de generalizar o seu reconhecimento…) Se falássemos de matemática, diríamos que meio ambiente é uma operação de adição simples de duas partes: o ambiente natural e o ambiente construído. E que essa adição produz sempre resultado objetivo e estável. Todavia, não é desta ciência exata de que falamos, antes de um conceito que se molda e flexibiliza em função de contextos e tempos, espaços e pessoas. E, se este conceito meio ambiente é o cruzamento do ambiente natural e construído contextualizado no tempo e no espaço, o mesmo encontra no espaço público o seu denominador maior e de mais alta visibilidade e significado.  Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar