Ampliar imagem | Tamanho original
Este apartamento, inserido num edifício de 1932, encontrava-se desfigurado tendo perdido grande parte dos elementos arquitetônicos que o caracterizavam, fruto de sucessivas intervenções aleatórias, realizadas pelos anteriores proprietários.A intervenção no espaço procurou, por um lado, responder ao programa do cliente, que pretendia uma habitação contemporânea e adaptada ao estilo de vida atual e por outro, respeitar a memória do edifício, restaurando a sua identidade. A planta foi reorganizada de forma a expandir os espaços, convergindo áreas sociais e unificando compartimentos pequenos. A zona social, composta por sala de estar, sala da jantar e cozinha, foi articulada de forma a garantir a fluidez e a funcionalidade dos espaços. Elementos filtrantes separam os três espaços sem os enclausurar, a permeabilidade visual é constante e abre caminho à luz natural que chega mesmo às zonas mais recônditas do apartamento. As áreas de estadia são brancas e repletas de luz, em contraste com as áreas funcionais, como a cozinha e casa de banho, onde a saturação da cor é utilizada para criar um ambiente mais denso e intimista. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar