Ampliar imagem | Tamanho original
Essa pergunta já pode ter passado pela sua cabeça e ela é, de fato, objeto de reflexão de pesquisadores de diversas áreas, incluindo filosofia, ciências sociais e psicologia. Atualmente, somos mais de 4 bilhões de pessoas que vivem em áreas urbanas, índice que aumenta a cada ano. A vida em comunidade traz grandes desafios e, para coordenar muitos deles, os grupos estabeleceram uma série de princípios e padrões que estimulam um senso comum entre os indivíduos. Muitas vezes, não pensamos sobre as nossas ações cotidianas como, por exemplo, abrir o guarda-chuva para não se molhar enquanto caminha, correto? Parece uma atividade óbvia. Segundo estudos de ética comportamental, no campo das ciências sociais, esse comportamento indica uma ação independente em comparação com os outros indivíduos que dividem o mesmo ambiente que o seu. Agora, imagine outra situação: há uma fila de pessoas aguardando a entrada no metrô, quando o veículo chega na estação, as pessoas da fila aguardam as que querem sair para ingressarem no trem, nesse caso, são ações interdependentes. A distinção entre esses dois atos se dá pelo fato que em ações independentes a prática procede somente da convicção pessoal do cidadão, enquanto que seu comportamento não é motivador o suficiente para outra pessoa fazer o mesmo. Já em ações interdependentes, há intenção em coordenar o ato com outras pessoas, como em uma prática coletiva, já que a ação de outro membro irá influenciar diretamente no seu comportamento. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar