Ampliar imagem | Tamanho original
Após vir à público que os arquitetos responsáveis pelo projeto do Serpentine Pavilion de 2019 não estavam pagando os estagiários envolvidos no projeto do pavilhão, a Serpentine Gallery solicitou diretamente que os responsáveis pelo escritório Juny Ishigami + Associates, revisassem seus péssimos hábitos e remunerassem todos os envolvidos no projeto do pavilhão. O escritório de arquitetura japonês é apenas mais uma das muitas empresas do ramo que explora jovens profissionais, oferecendo trabalho em troca de "experiência". As duras críticas da Serpentine vieram à tona depois de um suposto e-mail ter sido veiculado pelo The Architects’Journal, onde um dos estagiários fala sobre a falta de remuneração, a pesada carga horária e as intermináveis horas extras. O escritório do arquiteto japonês de 44 anos foi escolhido pela Serpentine Gallery em fevereiro deste ano, tornando-se o segundo mais jovem arquiteto a projetar um pavilhão Serpentine depois de Frida Escobedo, responsável pelo pavilhão do ano passado. Após a divulgação da notícia, a Serpentine Gallery disse em nota ao The Guardian que não tinha conhecimento da situação precária do escritório japonês e que estava tomando as medicadas cabíveis para tentar reverter a situação. Posteriormente, a Serpentine divulgou um comunicado oficial que não permitiria nenhum tipo de trabalho não remunerado vinculado ao projeto do pavilhão, independentemente dos cargos que estas pessoas ocupem na respectiva empresa contratada para o projeto. Ainda mais alarmante, a Serpentine disse que os responsáveis pelo projeto sabiam desta política.  Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar