Ampliar imagem | Tamanho original
Este apartamento para um cineasta reinterpreta o uso do poché para apoiar a teatralidade barroca e propõe uma arquitetura cinematográfica de sequências e pontos de vista. O uso do “poché virtual” no barroco para esconder espaços de serviço e criar mistério e surpresa é modernizado através de uma ênfase cinematográfica na esbeltez e na superfície, em vez de solidez e massa. O apartamento ocupa o último pavimento de um hotel de 11 pavimentos em estilo Art Déco que foi recentemente convertido em espaços comerciais no térreo. O átrio e muitos dos apartamentos do edifício foram reconstruídos num estilo que lembra o original. Os proprietários das unidades do pavimento superior, no entanto, tiveram a oportunidade de projetar seus próprios espaços. Um desafio enfrentado é que, embora tenhamos tido a oportunidade de trabalhar com generosos pés-direitos de 3,5 m, as janelas compartilhavam as mesmas proporções pequenas em todos os pavimentos inferiores. Nossa abordagem começou com o desejo de tratar o espaço principal como um pseudo-exterior empurrando todos os espaços privados e utilitários por trás de uma parede grande e plana de carvalho - a fachada interna da unidade. Acima de tudo isso está uma plataforma privada acessada a partir de escadas e corredores no pequeno espaço do poché. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar