Ampliar imagem | Tamanho original
Durante o desenvolvimento projetual em Arquitetura, estudantes e profissionais adotam uma série de metodologias como experimentação às soluções do objeto arquitetônico a ser materializado. Um suporte importante de muitas dessas metodologias é modelo físico que, do ponto de vista projetual, tem por objetivos simular relações espaciais considerando volumes e planos dispostos no desenho, entender setorizações e ainda ensaiar sistemas construtivos. A partir da ideia de que apenas desenhos bidimensionais por si só não são capazes de mostrar todas as relações das soluções adotadas, as maquetes são estratégias essenciais na concepção do projeto, os rápidos ensaios confinam experiências que permitem compreender tridimensionalmente o relacionamento entre objeto e território. Como etapa crucial do processo criativo, entendimento volumétrico e de todo o sistema construtivo, são muitos os exemplos práticos que poderíamos citar. Pense nas obras de Antoni Gaudí, as mesmas não seriam passíveis de execução caso tivesse em mãos apenas desenhos bidimensionais (plantas, cortes e vistas), mas, junto aos modelos físicos, estes atuam como norteadores da posterior etapa construtiva. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar