Ampliar imagem | Tamanho original
O Campo de Cebada se tornou uma das principais referências em autogestão e construção coletiva de espaços públicos, em estreita relação com as acampadas espanholas de 2011. Neste artigo, o coletivo de arquitetura Zuloark reflete sobre os princípios que foram importantes para que o experimento funcionasse. “Aqui, antes, havia uma piscina pública. Em 2009, a prefeitura demoliu as instalações com a promessa de construir um novo centro poliesportivo. A chegada da crise impediu o novo empreendimento, e restou um buraco de quase 2.500 metros quadrados. Nós, um grupo de vizinhas do bairro, nos recusamos a esquecer a piscina pública e também a conviver com esse enorme espaço abandonado, cercado e fechado. Reunimo-nos com associações locais e conversamos com a prefeitura. Conseguimos que, enquanto não se iniciassem as obras das novas instalações, o espaço fosse designado à gestão das vizinhas, em corresponsabilidade com a prefeitura. Assim nasceu o Campo de Cebada: praça pública cogerida por vizinhas, usuários e amigos. Um espaço que não se esquece do centro poliesportivo imaginado para o bairro. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar