O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Como projetar 'edifícios lanterna' com paredes autoportantes de vidro

Como projetar 'edifícios lanterna' com paredes autoportantes de vidro

Como projetar 'edifícios lanterna' com paredes autoportantes de vidro
Como projetar 'edifícios lanterna' com paredes autoportantes de vidro, The Nelson-Atkins Museum of Art / Steven Holl Architects. Image © Andy Ryan
The Nelson-Atkins Museum of Art / Steven Holl Architects. Image © Andy Ryan

Recorrentemente, vemos que arquitetos optam por fachadas translúcidas para resolver as envoltórias de seus edifícios, promovendo a entrada de uma grande quantidade de luz natural controlada durante o dia. Ao mesmo tempo, quando acendem as luzes durante a noite, muitos desses projetos são notados no meio da escuridão, aparecendo como lanternas ou faróis para seus bairros e comunidades. Estando expostos a mudanças de condições - dia ou noite - é necessário estudar detalhadamente a orientação e a localização do edifício, as pré-existências do contexto e a configuração dos espaços interiores, o que nos leva a escolher necessariamente o material adequado.

Apresentamos um sistema autoportante de painéis de vidro que permite construir este tipo de fachadas sem interrupções - do chão ao teto -, com quadros mínimos e cores, texturas e performances térmicas e acústicas diferentes.

The Nelson-Atkins Museum of Art / Steven Holl Architects. Image © Andy Ryan C-Glass House / Deegan Day Design. Image © Taiyo Watanabe Magnolia Mound Visitors Center / Trahan Architects. Image © Timothy Hursley Nelson Atkins Museum of Art / Steven Holl. Image Cortesía de Bendheim + 28

The Nelson-Atkins Museum of Art / Steven Holl Architects. Image © Andy Ryan
The Nelson-Atkins Museum of Art / Steven Holl Architects. Image © Andy Ryan

Em edifícios que exigem altos níveis de iluminação natural diurna e a transparência visual não é um requisito essencial, a luz difusa é uma opção eficaz para o revestimento de suas fachadas. Nestes casos, evita-se o ofuscamento e uma luz homogênea é obtida nos espaços interiores. O fato de mesclar módulos de vidro texturizado com outros mais transparentes permite criar espaços com diferentes graus de privacidade.

C-Glass House / Deegan Day Design. Image © Taiyo Watanabe
C-Glass House / Deegan Day Design. Image © Taiyo Watanabe

O uso de painéis autoportantes proporciona a capacidade de construir fachadas curvas ou cantos envidraçados sem a necessidade de marcos verticais visíveis. Desta forma, o edifício mantém uma linha de desenho limpa e contínua, evitando a incorporação de elementos estruturais intermediários à vista. Cada painel pode atingir 7 metros de altura (23 pés).

Cortesía de Bendheim
Cortesía de Bendheim

O peso reduzido dos painéis de 7 mm (1/4 "), perto de 1,8 kg / m2 (4 lbs / ft2), é preferível para edifícios que apresentam limites em sua capacidade de peso estrutural, sendo leves e modulares, as unidades podem ser manipuladas por 3 pessoas sem equipamentos pesados, facilitando e agilizando o processo de instalação.

Magnolia Mound Visitors Center / Trahan Architects. Image © Timothy Hursley
Magnolia Mound Visitors Center / Trahan Architects. Image © Timothy Hursley

Com uma transmitância térmica (valor U) entre 0,49 e 0,19, o edifício envidraçado pode alcançar uma alta eficiência térmica. Os painéis de vidro também apresentam um bom desempenho acústico, atingindo uma transmissão sonora do STC43.

C-Glass House / Deegan Day Design. Image © Taiyo Watanabe
C-Glass House / Deegan Day Design. Image © Taiyo Watanabe

Detalhes Construtivos

Fachada

Elevation / Bendheim SF60S Single Glazed
Elevation / Bendheim SF60S Single Glazed

Corte / Chão ao teto

SD1 - Typical Head Still Details / Bendheim SF60S Single Glazed
SD1 - Typical Head Still Details / Bendheim SF60S Single Glazed

Corte / Junção entre dois módulos

SD2 - Typical Stack Joint Details / Bendheim SF60S Single Glazed
SD2 - Typical Stack Joint Details / Bendheim SF60S Single Glazed

Planta / Junção entre módulos

SD3 - Jamb Details / Bendheim SF60S Single Glazed
SD3 - Jamb Details / Bendheim SF60S Single Glazed

Planta / Detalhe Esquina

SD4 - Typical Corner Detail / Bendheim SF60S Single Glazed
SD4 - Typical Corner Detail / Bendheim SF60S Single Glazed

Aplicação em Projetos Construídos

Centro de visitantes Magnolia Mound / Trahan Architects

Segundo seus arquitetos, "o vidro translúcido foi selecionado para ocultar sutilmente os ocupantes dentro e ao redor do novo edifício, como uma pintura impressionista, borrando a distinção entre o novo e o antigo, a construção e a paisagem".

Magnolia Mound Visitors Center / Trahan Architects. Image © Timothy Hursley
Magnolia Mound Visitors Center / Trahan Architects. Image © Timothy Hursley
Magnolia Mound Visitors Center / Trahan Architects
Magnolia Mound Visitors Center / Trahan Architects

Institute of Contemporary Art / Diller Scofidio + Renfro

Neste caso, as fachadas translúcidas foram localizadas nas laterais do edifício - leste e oeste -, iluminando-se o interior durante a noite e gerando uma "atmosfera íntima e contemplativa para a arte" através de duas grandes galerias.

Institute of Contemporary Art / Diller Scofidio + Renfro. Image © Iwan Baan
Institute of Contemporary Art / Diller Scofidio + Renfro. Image © Iwan Baan
Institute of Contemporary Art / Diller Scofidio + Renfro
Institute of Contemporary Art / Diller Scofidio + Renfro

Casa C-Glass / Deegan Day Design

Inspirado pelas explorações em vidro de Philip Johnson, Mies van der Rohe, Larry Bell, Dan Graham, Gerhard Richter e Damien Hirst, esta casa é um exercício em torno da transparência, "manifestando uma exposição máxima com um impacto ambiental mínimo".

C-Glass House / Deegan Day Design. Image © Taiyo Watanabe
C-Glass House / Deegan Day Design. Image © Taiyo Watanabe
C-Glass House / Deegan Day Design
C-Glass House / Deegan Day Design

The Nelson-Atkins Museum of Art / Steven Holl Architects

'As múltiplas camadas de vidro translúcido das lentes reúnem, difundem e refratam a luz, às vezes se materializando como blocos de gelo. Durante o dia, as fachadas injetam diferentes qualidades de luz nas galerias, enquanto que à noite o jardim de esculturas brilha com sua luz interna”, comentaram seus arquitetos.

The Nelson-Atkins Museum of Art / Steven Holl Architects. Image © Andy Ryan
The Nelson-Atkins Museum of Art / Steven Holl Architects. Image © Andy Ryan
The Nelson-Atkins Museum of Art / Steven Holl Architects
The Nelson-Atkins Museum of Art / Steven Holl Architects

Ver a galeria completa

Sobre este autor
José Tomás Franco
Autor
Cita: Franco, José Tomás. "Como projetar 'edifícios lanterna' com paredes autoportantes de vidro" [Arquitectura de luz difusa: cómo diseñar 'edificios linterna' con muros de vidrio auto-portantes] 10 Ago 2018. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/899990/como-projetar-edificios-lanterna-com-paredes-autoportantes-de-vidro> ISSN 0719-8906