Ampliar imagem | Tamanho original
Na imaginação poética de Luis Barragán, a cor desempenha um papel tão significativo quanto a dimensão ou o espaço. Texturas ásperas e reflexos d'água aumentam o impacto da luz solar em seus edifícios coloridos. Mas de onde vem essa vibração e como ela é potencializada pela própria arquitetura? Protegendo paredes As paredes das obras de Barragán não apenas cuidadosamente enquadram as vistas, mas também projetam sombra ou reproduzem as sombras das árvores. Suas composições incluem paredes com texturas tanto ásperas quanto lisas. A textura áspera origina-se da argamassa rústica de cascalho aplicada ao tijolo e cria padrões vívidos e irregulares e enfatiza uma dimensão tátil. Em contraste, a textura lisa é resultado de uma superfície de argamassa regular e forma um cenário silencioso e abstrato, atuando como uma tela para os feixes de luz que se movem pela parede. Enquanto a estrutura geral de suas paredes é mantida minimalista, as texturas e cores criam uma experiência poética. Esta relação foi recentemente explorada em uma instalação do artista americano Fred Sandback, como visto nas imagens que acompanham o artigo. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar