O site de arquitetura mais visitado do mundo
Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Conheça o vencedor para o Masterplan da Orla do Lago Paranoá, em Brasília

Conheça o vencedor para o Masterplan da Orla do Lago Paranoá, em Brasília

Conheça o vencedor para o Masterplan da Orla do Lago Paranoá, em Brasília
Conheça o vencedor para o Masterplan da Orla do Lago Paranoá, em Brasília, Cortesia de Concurso Masterplan Orla do Lago Paranoá
Cortesia de Concurso Masterplan Orla do Lago Paranoá

O escritório Estúdio 41 foi o vencedor do Concurso Público do Masterplan da Orla do Lago Paranoá. A proposta prevê equipamentos de lazer, restaurantes e áreas de contemplação para os usuários da orla. Dentre os 22 projetos avaliados pela comissão julgadora Thiago de Andrade, secretário de gestão do Território e Habitação, explicou que a viabilidade é um dos grandes méritos do escolhido, pois não serão necessárias grandes intervenções para implementar o que está previsto no documento. “Ele é bem simples e leva em consideração toda a questão ambiental. O próximo passo é contratar o vencedor para ele finalizar o projeto até o fim do ano.”

A equipe vencedora assinará o contrato para detalhar o masterplan com as observações do júri, da Secretaria de Gestão do Território e Habitação, do Instituto Brasília Ambiental (Ibram) e da população do DF, que opinará através de consultas públicas.

Leia, a seguir, parte do memorial descritivo do projeto vencedor.

Descrição enviada pela equipe de projeto. 

Margeando Brasília

Brasília, cidade inventada. Cidade dos grandes espaços livres, monumentais e cívicos. Símbolo da intenção de dominar o território de um Brasil continental através da construção de uma metrópole no interior do país.

Cortesia de Concurso Masterplan Orla do Lago Paranoá
Cortesia de Concurso Masterplan Orla do Lago Paranoá

O plano piloto, projeto construído para dar forma a essa ideia, e reconhecido como patrimônio da humanidade pela UNESCO a partir de 1987, deu conta de criar uma cidade viva, interessante como urbe e assumida pelos cidadãos como capital e pelo mundo como valor cultural.

Partindo do princípio que o desenho do Plano Piloto colabora então para construir a noção de identidade da capital, um Masterplan para a Orla do Paranoá deve ter como premissas: o respeito pelos espaços definidos dentro do perímetro do plano; o reforço e a ampliação de seus atributos qualitativos; e, porque não, a contribuição para a construção simbólica do ideal de cidade.

Além disso, pretende-se que os parques desenhados nas margens do Paranoá possam colaborar no debate atual sobre a criação e a qualificação dos sistemas de espaços livres das cidades e sobre como a população ganha em bem estar e qualidade de vida quando seu desenho é bem sucedido e incorporado no dia a dia do cidadão.

Cortesia de Concurso Masterplan Orla do Lago Paranoá
Cortesia de Concurso Masterplan Orla do Lago Paranoá

Rediscutindo a Escala Bucólica

O plano original de Lúcio Costa propunha de forma idealizada quatro grandes escalas de planejamento já bastante conhecidas: a monumental, a residencial, a gregária e a bucólica.

Das quatro, percebe-se que a escala bucólica teve o desenho mais indefinido nos primeiros esboços do planejamento original.

No plano piloto seria a escala bucólica aquela das praças, jardins, parques e da orla do Paranoá, acontecendo no interstício das demais escalas. De fato, a ideia tinha um potencial para configurar um sistema urbano de espaços livres rico e que contribuísse na construção da imagem da cidade.

No entanto, com o crescimento das áreas residenciais no Lago Sul e no Lago Norte e a implantação dos clubes e áreas de comércio e serviços, a margem do lago não conseguiu realizar de forma consistente a desejada escala bucólica. Surgiram descontinuidades, rupturas, compartimentações e o percurso fruitivo de orla foi sendo interrompido ao longo dos anos. Ou seja, as áreas bucólicas aos poucos não se estruturaram de maneira que permitissem o deleite, o descanso e o devaneio como previa o plano original.

Retomando o Espaço Público

A presente proposta de Masterplan tem uma significação fundamental dentro desse contexto: retomar os espaços públicos para oferecer aos cidadãos em geral a possibilidade de usufruir de seu lago, de suas paisagens, enfim, da escala bucólica.

Não necessariamente uma escala bucólica com as mesmas características defendidas no plano original e sim um local de encontro e fruição da vida ao ar livre.

Cortesia de Concurso Masterplan Orla do Lago Paranoá
Cortesia de Concurso Masterplan Orla do Lago Paranoá

De fato, os espaços livres da Orla do Paranoá carecem hoje de desenho e de usos que garantam vitalidade urbana. De certa forma, esses usos têm potencial para construir espaços gregários de uma forma distinta daquela prevista no plano original: espaços de encontro para atividades esportivas, culturais, educacionais e de serviços. Lugares de comtemplar e usufruir das paisagens e da qualidade de vida ao ar livre.

Para isso, no entanto, o primeiro passo seria a retomada das áreas cercadas que deveriam ser, tão logo seja possível, transformadas em espaços públicos.

Na tentativa de planejar os grandes espaços de governo, os territórios localizados na borda do plano piloto sofreram com a qualidade de planejamento e com o domínio dos lugares públicos por uma quantidade inumerável de compartimentações privadas. A orla do Lago Paranoá hoje é reflexo de uma situação em que o estado permite que os espaços públicos sejam assumidos pela esfera privada, por conta principalmente do ônus para sua manutenção. Nesse sentido, é indispensável pensar em como esses espaços, quando reintegrados ao domínio público, serão geridos financeiramente.

Sabemos que um plano sempre se estrutura de forma idealizada, mas nunca se realiza exatamente da forma pensada a priori.

Cortesia de Concurso Masterplan Orla do Lago Paranoá
Cortesia de Concurso Masterplan Orla do Lago Paranoá

Para aproximar o ideal do real, são necessárias políticas públicas que deem suporte às intenções de projeto e, principalmente, recursos para sua manutenção. É indispensável também a revisão permanente, afinal um plano urbanístico é sempre uma obra aberta sujeita à colaboração de inúmeros agentes.

O poder público tem um papel fundamental na garantia do acesso do cidadão aos espaços da cidade. Mas o estado não age sozinho. Os cidadãos se organizam, podem participar das decisões, podem convergir ou divergir naquilo que desejam dos espaços livres de suas cidades.

O Masterplan da Orla do Paranoá é a oportunidade para redesenhar novas concepções com base numa ampla discussão com a sociedade organizada. Seu desenho aponta nesse sentido a necessidade de força de intervenção original conjugada com a flexibilidade de adaptação.

Ver a galeria completa

Sobre este autor
Cita: Eduardo Souza. "Conheça o vencedor para o Masterplan da Orla do Lago Paranoá, em Brasília" 24 Abr 2018. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/893265/conheca-o-vencedor-para-o-masterplan-da-orla-do-lago-paranoa-em-brasilia> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.