Ampliar imagem | Tamanho original
A resposta para a montagem da XVI Bienal de Arquitetura começa com a escolha do lugar: o Museu de Arte Contemporânea do Parque Florestal. Apesar do edifício não ser suficientemente grande para receber a Bienal, ele apresentava virtudes de sobra para o evento, um lugar central e com boa acessibilidade, imerso no parque mais importante de Santiago, mas, principalmente, portador de uma das variáveis mais significativas para esta montagem: a possibilidade de estender a convocatória da Bienal para a maior quantidade de pessoas possível, não somente aquelas relacionadas ao meio, mas uma população muito maior. Abrir a mostra no contexto especifico do chamado "Em Direção a uma Arquitetura que Cuide da Nossa Terra" significa expor nossos assuntos publicamente que deram conta do intercâmbio de informações abertamente.  Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar