Ampliar imagem | Tamanho original
Este artigo foi publicado originalmente em The Architect's Newspaper como "Rendering LOL: How architects are absurdly using Calder sculptures." Por que tantos arquitetos utilizam as esculturas de Alexander Calder em seus renders, inclusive quando as obras não têm nenhuma relação com a instituição ou o projeto mostrado? A Fundação Calder investigou esse fenômeno e os resultados são mostrados nas imagens deste artigo. Uma nova exposição no Whitney Museum em Nova York explora os móbiles - esculturas cinéticas com componentes cuidadosamente balanceados que revelam seus próprios sistemas únicos de movimento - criadas pelo escultor americano Alexander Calder desde 1930 até 1968, oito anos antes da sua morte.  Aberta ao público até 23 de outubro, a exposição mostra quase 40 esculturas, incluindo três que serviram de modelos para possíveis estruturas arquitetônicas. Além disso, Alexander S. C. Rower, neto do escultor e diretor da Fundação Calder, levará ao Whitney uma das três maquetes motorizadas que Calder criou como proposta para a Feira Mundial de Nova York de 1939, para ser temporariamente exibida e ativada.  Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar