Ampliar imagem | Tamanho original
Em entrevista ao jornal português DN, Daniel Mòdol, presidente da Fundação Mies van der Rohe, fala sobre os desafios da arquitetura contemporânea -- que está a entrar numa nova era, com um papel mais social --, a emergência de uma nova geração de arquitetos e a atenção à memória dos lugares, que são fortemente identitários na era das redes sociais.  Em relação ao estado da profissão, Mòdol diz que "as condições sociais atuais, muito marcadas na Europa pela crise econômica, obrigam a priorizar a responsabilidade social e impõem-nos a otimização de recursos e um enfoque nos projetos desde a intervenção estritamente necessária. Obviamente isto afeta a produção arquitetônica, em que atualmente o supérfluo não tem lugar, ganhando mais importância a qualidade de vida dos cidadãos e cidadãs, e a cidade." Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar