Ampliar imagem | Tamanho original
"O homem é a medida de todas as coisas, das coisas que são, enquanto são, das coisas que não são, enquanto não são."  Protágoras Uma trena de 28 metros de comprimento e 40 centímetros de largura se estende como um véu ao longo da empena de um edifício no centro de São Paulo. A princípio o objeto parece um simples instrumento de medida ampliado, mas vai além. Inserido em meio as construções da cidade, a instalação itinerante se apropria de edifícios, viadutos e ruas, criando uma nova perspectiva sobre a paisagem urbana. A escala monumental das edificações ganha uma nova referência, uma escala gráfica que subverte a relação espacial e construtiva da cidade. De certa maneira o trabalho aproxima e cria uma ponte entre a escala urbana e a escala humana. Em outro momento, o objeto transpõe a cidade de volta para a escala da prancheta, de onde ela mesma saiu. As medidas imensuráveis voltam a ser palpáveis, permitindo ao observador transitar entre o controle e o descontrole da dimensão urbana. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar