Ampliar imagem | Tamanho original
Localizada num entorno onde a morfologia do terreno determina as condicionantes formais e as qualidades espaciais são produto de uma condição revelada e advertida. Nasce a arquitetura, a concepção do espaço. Este espaço que iniciou um projeto que destaca o cotidiano de práticas de um usuário em sua transformação. Onde são intensificadas as condições básicas do ser humano a partir de sua necessidades e não apenas de sua especulação subjetiva. Assim vivemos e experimentamos. O projeto propõe perceber, sentir, viver e pertencer ao espaço. Voltar ao básico, a um entender empírico onde o usuário/espectador consegue sentir o projeto, deixando de lado o juízo estético. Deixar de lado o objeto e viver o espaço, a arquitetura é espaço. A vista é projetada na forma e a forma responde à função de ver a cidade e sentir a natureza. Dualidade conceitualmente refletida na condição material, madeira/natural, concreto/cidade. Os espaços formalmente mantém as qualidades do terreno, adaptando-as aos usos do programa. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar