Ampliar imagem | Tamanho original
O município escolheu um local estratégico para o projeto da midiateca: no centro da cidade, a poucos metros de distância da prefeitura e da igreja, e com o conservatório de música construído na década de 1990 logo do outro lado da rua. Um edifício icônico, a nova midiateca é deliberadamente visível e identificável, ainda que se misture educadamente ao tecido urbano existente. Respeitoso com os recuos, evita ofuscar a vizinhança. Contido ao sinalizar sua existência, evidencia-se, discretamente, com a aproximação ao edifício. Só então, o volume e a identidade arquitetônica podem ser melhores identificados. É um edifício que não tem medo de exprimir sua massa. A fachada apresenta diversas dobras, cada faceta respondendo a um contexto específico e uma restrição particular. No lado do Boulevard, o edifício abre-se amplamente para uma alameda e sua transparência permite antecipar uma profundidade importante. Dobrando-se ao longo da rua Bouvier, a fachada fecha-se firmemente deixando apenas duas aberturas para criar estímulos: um no térreo, semelhante a uma fratura, convida o visitante para o interior; o outro, muito grande, no segundo pavimento, sugere a presença de um espaço importante. Na parte de trás, no centro da quadra, a fachada vira-se e gira sobre seu ponto de ancoragem, uma esplêndida nogueira de 100 anos. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar