Encontros USINA 25: O papel das mulheres na luta pela moradia

Encontros USINA 25: O papel das mulheres na luta pela moradia

O segundo encontro do Projeto USINA 25 será dedicado a pensar o papel das mulheres nos processos de luta pela moradia – seja enquanto técnicas, militantes ou mutirantes. Participam da conversa, que será realizado na sede do bloco Ilú Obá De Min, as arquitetas Joana Barros e Heloísa Rezende e a militante do movimento de moradia Rose Queiroz. O encontro será mediado pela jornalista Sabrina Duran.

Por meio das contribuições de mulheres que viveram diversos processos relacionados à luta pela moradia, tentaremos compreender em que medida as experiências vividas nos mutirões autogeridos foram transformadoras para elas.

O título do evento do evento faz referência à música Sou mulher, escrita por Tiarajuú Pablo D'Andrea para a trilha sonora do filme "Capacetes Coloridos" (2007).

Encontros USINA 25
Quem é você pra me dizer como se faz um prédio? As mulheres e o mutirão

  • com Joana Barros, Heloísa Resende, Rose Pinheiro e Sabrina Duran (mediação)
  • Sábado, 01/08 às 17h.
  • Ilú Obá De Min. Alameda Eduardo Prado, 342 – Campos Elíseos, São Paulo-SP

SOBRE O PROJETO USINA 25

Fundada em 1990 por profissionais de diversos campos de atuação como uma assessoria técnica a movimentos sociais, a USINA - Centro de Trabalhos para o Ambiente Habitado tem atuado no sentido de articular processos que envolvam a capacidade de planejar, projetar e construir pelos próprios trabalhadores, mobilizando fundos públicos em um contexto de luta pelas reforma urbana e agrária.

A equipe da USINA tem a intenção de superar a produção autoral e estritamente comercial da Arquitetura e do Urbanismo e busca, para tanto, integrar e engendrar processos alternativos à lógica do capital através de experiências sociais, espaciais, técnicas e estéticas contra-hegemônicas.

Em 2015, a USINA completou 25 anos de atuação. Visando preservar e ativar a memória dos principais processos desenvolvidos pela USINA nesse período, a atual equipe da assessoria deu início ao Projeto USINA 25 - Arquitetura como prática política.

Cortesia de USINA CTAH
Cortesia de USINA CTAH

Nesse contexto, alguns pesquisadores externos foram convidados a iniciarem um processo de pesquisa visando a criação de um documentário baseado no material de arquivo da assessoria e em entrevistas com técnicos, lideranças de movimentos sociais e mutirantes envolvidos nos principais processos desenvolvidos pela USINA.

Tendo como fio condutor a trajetória da USINA, este documentário visa situar a relevância histórica e as contribuições originais de arquitetos/as, cientistas sociais e profissionais de outros campos de atuação que se colocaram a serviço da efetivação do direito à moradia e do direito à cidade através de processos desenvolvidos junto a movimentos sociais – quer seja nos projetos desenvolvidos em conjunto com os futuros moradores, na inovação tecnológica e produtiva, nos processos de educação popular ou na organização do trabalho no canteiro de obras.

Por meio de exemplos concretos, pretende-se: 1) demonstrar que há espaço para o desenvolvimento de propostas com alta qualidade técnica e arquitetônica no âmbito da habitação de interesse social; 2) contar parte da história da luta por moradia e pela reforma urbana no Brasil e 3) abordar criticamente o papel das políticas públicas relacionadas à provisão habitacional no país.

Para tanto, a equipe envolvida na produção do documentário planeja abordar algumas das experiências mais significativas desenvolvidas pelos profissionais que passaram pela USINA, a exemplo do COPROMO, do Mutirão União da Juta e do Mutirão Paulo Freire – construídos em São Paulo (SP) –, do projeto da Cidade da Reforma Agrária – feito a convite do MST para o Assentamento Ireno Alves dos Santos, em Rio Bonito do Iguaçu (PR) – e do projeto de Reassentamento da Comunidade do Piquiá de Baixo – em Açailândia (MA).

Como parte deste processo, serão realizados diversos encontros públicos para tratar de temas que dizem respeito à atuação da USINA nos últimos 25 anos. Para acompanhar a programação, acesse a página do Projeto USINA 25 no Facebook. Caso queira ser informado diretamente sobre os próximos encontros, cadastre seu email aqui.

SOBRE AS CONVIDADAS

JOANA BARROS - Doutora em sociologia e arquiteta, atua desde os anos 1990 junto a movimentos sociais e organizações populares; como pesquisadora estuda temas relacionados ao campo dos direitos sociais e políticas públicas, espaço público e cidadania, cidades, movimentos sociais e cartografias sociais; gosta especialmente de literatura e fotografia; trabalhou na USINA CTAH por quase uma década; também trabalhou e é associada da assessoria Peabiru Trabalhos Comunitários e Ambientais desde 2008; é pesquisadora do CeNedic (USP) e do grupo Distúrbio (UFRRJ/UERJ) e desde 2011, é assessora da FASE.

HELOÍSA RESENDE - É arquiteta e urbanista formada em 2002 e defendeu mestrado em 2015 pela FAU USP. Participou da USINA CTAH entre 2002 e 2009, trabalhando nos Mutirões Casa Branca, Vila Simone e Paulo Freire. Representou a USINA no Conselho Municipal de Habitação (CMH) no biênio 2007-09. Atualmente trabalha com Regularização Fundiária na Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano do Município de Osasco.

ROSEANE QUEIROZ (ROSE) – É militante do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra Leste 1 desde 1997 e coordenadora executiva da União dos Movimentos de Moradia de São Paulo (UMM). Participou da coordenação e da gestão do Mutirão Paulo Freire. Assistente Social formada em 2014, trabalha na área da assistência como gerente de serviço no projeto social com crianças e adolescentes na Associação União da Juta.

SABRINA DURAN – Jornalista, atua como repórter freelancer desde 2006, dedicando-se à escrita de perfis de pessoas anônimas e cobrindo as áreas de Direitos Humanos e Urbanismo. É autora do livro "Mulheres Centrais" e do blog "EUA Votam", do site Opera Mundi, para o qual cobriu as eleições presidenciais norte-americanas de 2012. Realizou reportagens especiais a partir da Bolívia, Colômbia, Argentina, Inglaterra, França, Estados Unidos e de mais de 60 cidades brasileiras. Em 2013 criou o projeto jornalístico "Arquitetura da Gentrificação", que mapeia o processo de higienização social no centro da capital paulista.

  • Título

    Encontros USINA 25: O papel das mulheres na luta pela moradia
  • Organizadores

  • De

    01 de Agosto de 2015 05:00 PM
  • Até

    01 de Agosto de 2015 07:00 PM
  • Onde

    Ilú Obá De Min
  • Endereço

    Alameda Eduardo Prado, 342 - Campos Elíseos, São Paulo - SP, Brasil

Este evento foi enviado por um usuário de ArchDaily. Se você quiser, pode também colaborar utilizando "Enviar um evento". As opiniões expressas nos anúncios enviados pelos usuários archdaily não refletem necessariamente o ponto de vista de ArchDaily.

Cita: "Encontros USINA 25: O papel das mulheres na luta pela moradia" 24 Jul 2015. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/770662/encontros-usina-25-o-papel-das-mulheres-na-luta-pela-moradia> ISSN 0719-8906
Ler comentários
Ler comentários

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.