Ampliar imagem | Tamanho original
Nesta casa é estabelecida uma relação, sem solução de continuidade, entre o interior e o exterior. Uma sucessão de camadas entre o aberto e o intermediário. Os limites são defeitos através das lâminas de vidro e vegetação, marcados pelos planos horizontais, piso e teto. O cheio e o vazio se relacionam numa sucessão de matéria, água, vegetação e céu. Os limites laterais estabelecem a única relação cheio-vazio, numa sucessão de materiais sólidos que fecham o olhar transversal. Nas laterais, limites com vizinhos, são dispostos todos os dormitórios, deixando o espaço intermediário entre volumes para a localização dos usos mais sociais: cozinha-copa, sala, piscina e churrasqueira. As árvores existentes atravessam sem concessões o interposto entre elas. Uma cortina perimetral de corda e vegetação pontua os limites do elemento edilício, criando um interstício de sombra/luz que qualifica o espaço. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar