Ampliar imagem | Tamanho original
Esta é uma "promenade" ao mundo subterrâneo do vinho desde um caminho que percorre o bosque e enlaça as edificações. Seu interior oferece repouso, penumbra, peso da terra. Também o ar e a chuva na sala de degustações e a surpresa de um pequeno auditório. Construir uma adega para produção e consumo de vinho num entorno singular - o início de um vale, ao pé da montanha de um espaço protegido - é o motor do projeto. Neste entorno surgem construções de distintas índoles, inclusive uma ermita, onde começa a ladeira. No caminho que todas se unem aparece uma trama coberta onde, sob os vinhedos, estão as dependências da adega. Não é um recinto único, mas uma "promenade" que permite descobrir distintos espaços cujo o percurso ondulante, em planta e corte, transforma a dimensão dos mesmos. Utiliza-se a inércia deste entorno escavado para evitar qualquer consumo energético em suas qualidades ambientais, cuja percepção singular, é resultado de sua geometria espacial e seus materiais, o aço e as pedras, que te envolvem num mundo subterrâneo, fresco, isolado, onde é possível sentir e degustar outro tempo. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar