O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Exposição “Lina Bo Bardi e o Triângulo Mineiro” em Uberlândia

Exposição “Lina Bo Bardi e o Triângulo Mineiro” em Uberlândia

Exposição “Lina Bo Bardi e o Triângulo Mineiro” em Uberlândia
Exposição “Lina Bo Bardi e o Triângulo Mineiro” em Uberlândia, Cortesia de Página Cultural
Cortesia de Página Cultural

Duas pertinentes ocorrências no campo da cultura marcam a presença do olhar da arquiteta Lina Bo Bardi sobre o Cerrado: a “Exposição Documento: Repassos – Edmar e as Tecedeiras do Triângulo Mineiro” (1975), em São Paulo, e a construção da Igreja Espírito Santo do Cerrado (1976-1982), em Uberlândia, Minas Gerais.

Lina Bo Bardi (1914-1992), arquiteta italiana naturalizada brasileira, é hoje uma das figuras mais discutidas no campo da arquitetura, design e arte popular. Seu conjunto de obras, textos e projetos, desde a década de 1950 até sua morte, ainda permite um intenso debate sobre a pertinência de sua contribuição à produção cultural brasileira. Essa exposição entende que essas obras devem fazer parte das comemorações do Centenário de Lina Bo Bardi (2014), que será marcado por eventos no Brasil e no exterior durante 2014 e 2015. Uberlândia concentra fontes, referências, arquivos e pesquisas que, além de contribuir com a exposição de registros dessas obras, possibilitam a consolidação de um debate.

Desde a sua experiência italiana, antes de 1946, Lina se envolveu com a cultura popular do seu país. Quando veio para o Brasil com o marido, o crítico de arte Pietro Maria Bardi, a convite do jornalista e mecenas Assis Chateaubriand para criar o MASP, ela encantou-se com a cultura popular brasileira, vivenciada no Nordeste entre 1958 e 1964.

A arquiteta só deixou a Bahia porque suas ideias e seus ideais populares incomodavam a oligarquia baiana que, após o golpe civil militar de 1964, dominou o Nordeste. Se Lina não pôde levar adiante os seus projetos sobre a cultura popular nordestina, com a abertura do MASP na Avenida Paulista, ela assim pôde exercitar sua base e movimento calcada na antropologia e nas vanguardas modernas.

Repassos

Uberlândia passa a contribuir com as proposições de Lina Bo Bardi a partir de sua amizade com o artista plástico mineiro Edmar José de Almeida, com quem desenvolve a exposição premiada pela Associação Paulista de Críticos de Arte com a exposição do ano de 1975, realizada no Museu de Arte de São Paulo (MASP).

A “Exposição Documento: Repassos – Edmar e as Tecedeiras do Triângulo Mineiro”, de 1975, teve como conceito mostrar as tapeçarias executadas pelas tecedeiras de Martinésia (distrito de Uberlândia), Abadia dos Dourados e Araguari, no Triângulo Mineiro, a partir dos desenhos do artista Edmar de Almeida (1944): “uma procura artística a nível antropológico, uma autocrítica a nível coletivo”.

Igreja Espírito Santo do Cerrado

Croqui da Igreja Espírito Santo do Cerrado. Créditos: Cássio Henrique Naves Mota
Croqui da Igreja Espírito Santo do Cerrado. Créditos: Cássio Henrique Naves Mota

Em 1976, a arquiteta recebe o convite para desenvolver o projeto franciscano para a construção da Igreja Espírito Santo do Cerrado (a terminologia “…do Cerrado” veio da poética da arquiteta). Esse conjunto arquitetônico religioso (quiosque comunitário, casa, campo de futebol e Igreja) se tornaria para a comunidade do Bairro Jaraguá e para a Igreja, símbolo de trabalho comunitário e, para a arquiteta, a possibilidade de propor uma arquitetura condizente com a realidade social, econômica e cultural do povo que formava a periferia da progressista cidade.

O distanciamento temporal com essas obras permite que seja construído um recorte pertinente ao debate contemporâneo sobre a produção da arquiteta e de seus colaboradores, onde está incluída diretamente a comunidade de Uberlândia, uma vez que ambos os trabalhos trazem a cultura popular para o centro dessas ações.

As transformações sociais e a historiografia alimentam a constituição de um novo panorama crítico sobre as contribuições dessas obras para a cultura local. Ainda, o apelo didático desta exposição justifica-se pela importância dessas obras para a formação do indivíduo desta cidade, as quais traduzem o caráter popular brasileiro de Uberlândia.

LINA BO BARDI E O TRIÂNGULO MINEIRO

Visitação

Data: até 05 de dezembro 
Horário: Segunda a Sexta das 9h às 12h e 13h30 às 16h30
Local: Paróquia Divino Espírito Santo
Endereço:Avenida dos Mognos, 355, Uberlândia - MG

Mesa Redonda

Data: 28 de novembro de 2014 às 20h
Palestrantes:
André Vainer – Arquiteto colaborador de Lina Bo Bardi
Edmar de Almeida
Marcelo Ferraz – Arquiteto colaborador de Lina Bo Bardi
Renato Angelo – Instituto Lina Bo e Pietro Maria Bardi
Mediador: Luiz Carlos de Laurentiz

Encerramento

Data: 05 de dezembro de 2014 às 19h
Missa em homenagem ao Centenário da arquiteta Lina Bo Bardi com apresentação do Coral da UFU

Cita: Romullo Baratto. "Exposição “Lina Bo Bardi e o Triângulo Mineiro” em Uberlândia" 26 Nov 2014. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/758040/exposicao-lina-bo-bardi-e-o-triangulo-mineiro-em-uberlandia> ISSN 0719-8906