Ampliar imagem | Tamanho original
Este artigo, escrito por Felipe Amorim, foi originalmente publicado na página Opera Mundi em novembro deste ano com o título "Israel, EUA, Coreia, Grécia e Ceuta: conheça cinco muros que ainda estão de pé". Há 25 anos, caía na Alemanha o Muro de Berlim. Para muitos, o episódio sinalizava o início de uma nova era, de expansão da globalização e diminuição das fronteiras — simbólicas e reais. Um quarto de século após a queda deste ícone da Guerra Fria, ainda persiste, espalhada pelo mundo, uma série de fronteiras muradas construídas para separar povos. Abaixo, selecionamos cinco desses "muros contemporâneos": CISJORDÂNIA - ISRAEL O Muro da Cisjordânia — ou "Muro da Vergonha", como é chamado pelos críticos da ocupação israelense — começou a ser construído em 2002, período da Segunda Intifada, e separa Israel do território palestino da Cisjordânia. Na época, foi dito que o intuito era impedir a entrada de palestinos para prevenir atos de terrorismo. Os que se opõem à barreira denunciam que o muro é uma ferramenta utilizada por Israel para, além de interditar as negociações de paz por estabelecer unilateralmente novas fronteiras, também anexar gradualmente porções do território palestino, muitas das quais passaram a abrigar assentamentos israelenses. Atualmente, a parede de concreto, ferro e arame farpado tem cerca de 440 quilômetros de extensão — se a construção da barreira for finalizada, cercando todo o território da Cisjordânia, o muro se estenderá para aproximadamente 700 quilômetros. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar