O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Brasil precisa de profissionais estrangeiros (entre eles arquitetos), aponta pesquisa da SAE

Brasil precisa de profissionais estrangeiros (entre eles arquitetos), aponta pesquisa da SAE

Brasil precisa de profissionais estrangeiros (entre eles arquitetos), aponta pesquisa da SAE
Brasil precisa de profissionais estrangeiros (entre eles arquitetos), aponta pesquisa da SAE, © Pedro Moura Pinheiro, via Flickr
© Pedro Moura Pinheiro, via Flickr

A Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) estima, com base em um levantamento feito por uma comissão de especialistas e pesquisas com empresas e o público em geral, que é necessário trazer cerca de 6 milhões de profissionais estrangeiros qualificados para suprir a demanda nacional.

Entre os países com menor número de estrangeiros per capita, o Brasil apresenta hoje, segundo o ministro-chefe interino da SAE, Marcelo Neri, um “fechamento ao fluxo de pessoas”: os estrangeiros representam apenas 0,2% da população, porém, com os seis milhões previstos, o percentual subiria para 3%.

Trata-se de trazer mão de obra qualificada, sobretudo para as áreas da construção, engenharia e saúde, sugere Neri – isto é, entre os seis milhões de novos profissionais, um contingente de arquitetos, urbanistas e engenheiros civis estrangeiros.

A estratégia é vista pelo ministro como suplementar à qualificação da mão de obra nacional, que, segundo associações sindicais, é suficiente em  termos numéricos mas precisa, de fato, ser melhor valorizada e qualificada.

"Apagão de mão de obra"

A expressão é frequentemente empregada por analistas para se referir a uma suposta escassez de mão de obra de profissionais altamente qualificados no Brasil. Segundo país com maior dificuldade para preencher vagas, o Brasil está apenas atrás do Japão nessa lista, e a falta de candidatos disponíveis e de especialização são apontadas por empresários como as duas principais razões do problema.

Entretanto, uma pesquisa de 2011 promovida pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) negou a existência desse “apagão” no topo da pirâmide profissional. “O verdadeiro apagão está na base, na mão de obra pouco qualificada, que é onde os salários estão subindo mais", diz o ministro Marcelo Neri.

Neri aponta que nos últimos anos algumas áreas começaram a dar sinais de que a oferta interna de profissionais não seria suficiente para acompanhar o mercado em crescimento do país. Um levantamento da Brasil Investimentos e Negócios (Brain) - consultoria que realiza pesquisas sobre a inserção do Brasil no mercado internacional e colabora com a SAE - afirma que arquitetura, engenharia civil, engenharia química e medicina são éreas em que o país precisa de mais profissionais do que os disponíveis.

Segundo o Brain, outro benefício da importação de profissionais são os empregos criados a partir dessa estratégia: cada profissional estrangeiro empregado no Brasil poderia gerar entre 1,3 e 4,6 empregos para brasileiros.

"Temos claramente obras paradas porque não tem engenheiro civil. Quando se coloca um engenheiro civil lá, se gera emprego para mestres de obras e outros. Isso é bom para a economia", afirma Luiz Sacconato, analista da Brain. "É algo complicado, vai mexer com sindicatos e associações de classe. Mas não queremos tirar o emprego de ninguém, são empregos complementares."

Divergências

A maior parte dos profissionais estrangeiros que chegam hoje ao Brasil são qualificados para trabalhar nas indústrias de extração de petróleo e construção civil – sobretudo em obras de infraestrutura.

Todavia, a falta de arquitetos e engenheiros locais para atender a demanda é questionada por muitos, entre os quais o presidente da Federação Nacional dos Arquitetos, Jeferson Salazar, e o presidente da Federação Nacional dos Engenheiros, Murilo Pinheiro.

Salazar afirma ainda que, apesar da demanda, o setor público ainda não absorve a quantidade de profissionais arquitetos e urbanistas que chegam todos os anos ao mercado de trabalho – aproximadamente 7 mil e todo o Brasil.

"Nos últimos 25 anos, o número de escolas no Brasil cresceu 6 vezes. A quantidade de jovens arquitetos com subemprego ou desempregados no país é imensa e o governo não tem nenhum plano para utilizar esse exército de mão de obra", comentou o presidente da FNA.

Com um pensamento semelhante, Pinheiro aponta: "A demanda por profissionais nessas áreas realmente aumentou, mas não está faltando. Se for preciso trazer um engenheiro de uma matéria que não existe aqui, (a importação) é de fato interessante, mas não entendo a necessidade de trazer amplamente engenheiros civis.”

A opinião geral entre os que questionam a posição da SAE é de que a “importação” de mão de obra qualificada é interessante, contanto que se justifique de algum modo – como por exemplo, trazendo contribuições em áreas específicas ainda inexistentes ou embrionárias no Brasil - , mas a simples necessidade de trazer mão de obra qualificada estrangeira parece não convencer líderes de entidades de classe, sindicatos e os próprios profissionais.

Referência: BBC Brasil e Estadão Economia

Sobre este autor
Romullo Baratto
Autor
Cita: Romullo Baratto. "Brasil precisa de profissionais estrangeiros (entre eles arquitetos), aponta pesquisa da SAE" 03 Nov 2014. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/br/756575/brasil-precisa-de-profissionais-estrangeiros-entre-eles-arquitetos-aponta-pesquisa-da-sae> ISSN 0719-8906
Ler comentários