Ampliar imagem | Tamanho original
Uma adega já não é o que era.  Ainda conheci adegas onde as teias de aranha e o pó eram sinal de tempo e do tempo.  O tempo era também, quase sempre, o sinal de qualidade, pois o vinho que se preservava ao longo do tempo, no tempo, era do bom e ficava melhor ainda depois de ali ficar estacionado uns anos. As adegas estão em transformação e já não há lugar para o pó nem para as teias de aranha. Autênticos laboratórios, regem-se por rígidas regras de laboração e de higiene. Obedecem a uma ciência apurada de dosagem, regulação de temperatura, acelerada ou lenta, mais ou menos química. Em alguns casos, uma adega é um espaço de verdadeira alquimia. A Adega Casa da Torre já existia, pois na propriedade já se fazia bom vinho. A vontade de produzir mais, melhor e de acordo com as novas regras, obrigou a repensá-la e obrigatoriamente a aumentá-la. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar