Ampliar imagem | Tamanho original
O projeto tem início a partir de uma análise aprofundada que concilia as condições naturais, as normas do terreno e as expectativas emocionais dos usuários. A área possui uma inclinação bastante íngreme que comunica duas vias para veículos. Além disso, tem uma frente alongada com uma vista privilegiada para a baía de Pucusana, a ilha de Pucusana e o horizonte. Finalmente, cabe ressaltar que o tereno é bastante estreito. No que diz respeito às normas, que promove o respeito ao perfil natural do morro, restringindo a altura do edifício para um valor menor ou igual à distância entre o volume arquitetônico e os limites do terreno. Isso restringe a projeção do edifício em direção ao mar, pois quanto mais maior a projeção menor a largura do edifício neste ponto. Com relação às aspirações do cliente, existiram dois objetivos paralelos. O primeiro, para que se tirasse o máximo de proveito da área construída, tanto quanto possível, de acordo com os regulamentos da praia. O segundo, para criar uma abordagem arquitetônica (estética e espacial) que evocasse cenários oníricos tais como volumes flutuantes, a sensação de andar sobre a água ou a possibilidade de estender os limites do prédio em direção ao horizonte. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar