Ampliar imagem | Tamanho original
Atualização: CCA divulga as declarações de Siza.  Na semana passada divulgamos a notícia sobre o incerto destino do acervo do arquiteto português Álvaro Siza. Em meio  a especulações e de uma grande discussão em Portugal (e no mundo) sobre o o assunto, finalmente nesta quarta-feira o arquiteto anunciou sua decisão. Siza optou por doar uma parte a duas instituições portuguesas: a Fundação Gulbenkian,em Lisboa, e a Fundação de Serralves, no Porto, e outra parte ao Centro Canadense de Arquitetura (CCA) em Montreal.  Num comunicado à imprensa Siza declara seu desejo de que seu trabalho de tantos anos seja de algum modo útil, e que contribua para o estudo e o debate sobre arquitetura em Portugal. E que a sua escolha referente às duas instituições portuguesas se deve à experiencia, à qualidade e à capacidade de desenvolver ou aumentar os respectivos acervos. E no caso do Centro Canadense de Arquitetura (CCA), deve-se ao prestígio e experiência ímpar na preservação e apresentação de arquivos internacionais. Em Montreal o acervo de Siza fará companhia a documentos de outros grandes nomes da arquitetura mundial, como o norte-americano Peter Eisenman, o italiano Aldo Rossi ou o inglês James Stirling. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar