Ampliar imagem | Tamanho original
A proposta parte do máximo respeito às edificações existentes, uma Casa-Torre do século XV e a qual foi adicionada um Palácio n século XVIII, ambos característicos da arquitetura vernácula. A partir desta premissa, nasce uma proposta que enfatiza os valores históricos e arquitetônicos destas edificações, onde o novo programa de espaços públicos é enterrado. Assim, surge um nível no subsolo do edifício atual que apenas se mostra ao exterior através de elementos pontuais que resolvem os requisitos de acesso e iluminação. No interior do Palácio do século XVIII, foca-se na reconstrução da sua estrutura, enquanto que a Torre se mantém como um elemento vazio, que contém as lembranças e o elemento rótula do projeto. A união entre o edifício restaurado e seu novo acesso acontece no térreo, mantendo o Palácio-Torre com sua posição dominante sobre a paisagem em que está inserido. Esta união é projetada como uma ampliação natural do próprio edifício, gerando uma perfeita harmonia entre as duas partes e seu entorno. Seguindo o mesmo critério, utiliza-se uma palheta mínima de materiais que aborda a madeira, a pedra e o vidro para, assim, resolver o edifício gerando-se uma intervenção adequada do conjunto. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar