Ampliar imagem | Tamanho original
No ano de 1997, Londres  tinha vários problemas similares aos nossos: qualidade da educação, déficit de investimento na infraestrutura do transporte, desemprego e um grande desequilíbrio entre as distintas zonas da cidade. Mas em 1998, o primeiro ministro da época, encomendou ao arquiteto Sir Richard Rogers do Urban Task Force, a tarefa de  identificar quais eram as causas do declínio urbano local, e com base nesse plano, recomendar soluções sustentáveis. E assim nasce o Plano Estratégico de Londres 1998-2004, com uma projeção para 2020, e que abrange estratégias de crescimento, infraestrutura, habitação, desenvolvimento econômico, segurança, cultura e meio ambiente. Para isto foram identificadas as zonas de regeneração urbana, de oportunidade, os diferentes centros, as zonas culturais estratégias e clusters . Esta informação foi investigada e estudada sob uma estrutura de organismos com funções e objetivos específicos, que vão desde o prefeito, os subprefeitos dos 33 distritos, a GLA (Greater London Authority), LDA (London Development Agency) e a LTGDC (London Thames Gateway Development Corporation). Estas três, dentro de outras, estão diretamente envolvidos no plano, em sua implementação, financiamento e manutenção. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar