Ampliar imagem | Tamanho original
© Fran Parente© Fran Parente© Marcus La Motta© Fran Parente A casa VR 01 tinha como ponto de partida ser um espaço desenvolvido em um nível somente. O terreno de 36m de frente por 85m de profundidade possuía um declive de aproximadamente 2,50m a partir da metade do terreno e com uma vasta e preservada vegetação ao fundo. © Fran Parente Como a casa deveria ser térrea a solução adotada foi cortar o terreno de duas maneiras: o primeiro corte foi transversal e obedece ao ponto médio da frente do lote resultando em um platô no nível 101.40. O segundo corte foi longitudinal e configura o mesmo platô no nível 101.40 e cria mais um no nível 98.67, preservando a densa mata existente. Corte BB A partir desse ponto a casa surge com uma regularidade geométrica de forte identidade. Dois pavilhões de usos distintos (Dormitórios e Serviços) paralelos entre si e dispostos longitudinalmente ao terreno, formam o espaço coletivo que se assemelha a um pátio. Esse elemento tipológico claro, definido e intimista serve como o centro espacial da residência que dele se desenvolve, organizando e distribuindo todos os seus cômodos. Surge como ordenador da casa, como um elemento que tem por objetivo criar um espaço capaz de proporcionar maior privacidade, apresentando-se como um centro irradiador. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar