Ampliar imagem | Tamanho original
Quase dois anos depois do OMA ter sido anunciado vencedor do concurso internacional para o novo Taipei Performing Arts Center, começa sua construção. Este ambicioso projeto, liderado pelos parceiros do OMA Rem Koolhaas e Gianotten David, gerou muita polêmica entre os arquitetos quando foi anunciado em 2009, devido à sua forma particular. Conformado por uma série de operações programáticas, a volumetria combina três tipos de teatros, a fim de permitir uma grande variedade de espetáculos. Mais detalhes, incluindo cortes e renders atualizados a seguir: TPAC vista desde norte © OMA O teatro principal, com capacidade para 1.500 pessoas, é uma grande esfera, enquanto os dois teatros menores, cada um com 800 assentos, são cubos periféricos. Todos os serviços de palco estão reunidos dentro do cubo central, permitindo mais flexibilidade. Assim, os teatros podem ser usados independentemente ou em conjunto, ampliando as possibilidades de performances experimentais. Ao mesmo tempo, e de uma maneira semelhante ao edifício CCTV em Pequim, China, um circuito público de visitação do edifício (Public Loop), expõe os espaços que permitem o funcionamento do TPAC,  a infraestrutura dos teatros e os espaços de produção, áreas tipicamente escondidas do público, mas tão reveladoras como as performances em si. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar