Ampliar imagem | Tamanho original
UM EDIFÍCIO PERMEÁVEL, UMA PRAÇA ABERTA. Localizado na cidade de Campina Grande, o edifício gera espaços vazios e se cobre por uma pele permeável. Está conectado com entorno próximo integrando: edifício, praça e cidade. O aproveitamento máximo da taxa de ocupação não impede uma implantação branda e natural, promovendo a presença de pátios, vazios e grandes aberturas. PÁTIOS ABERTOS, permeáveis com vegetação suspensa funcionam como um “impluvium” (espelho d’água que recebe águas das chuvas). O conjunto proporciona conforto térmico conservando umidade do ar equilibrando a temperatura. O conforto se complementa por brises horizontais, que filtram a passagem do sol de maneira seletiva, fazendo do hall de entrada uma praça aberta. Uma praça coberta com múltiplas configurações e usos pode ser utilizado para mostras, palestras, reuniões/auditório e simplesmente contemplação. A pele permeável não se assemelha aos edifícios institucionais envidraçados, impenetráveis e impermeáveis das grandes cidades. Propomos o uso de uma pele de aspecto inconfundível, permeável, permitindo passagem do ar, chegando a espaços intermediários (impluvium). O conjunto (pele, pátio e brises) nos instiga a possibilidade de duas leituras: espaço interior e ou exterior. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar