O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Iwan Baan: habitações engenhosas em locais inesperados

Iwan Baan: habitações engenhosas em locais inesperados

Iwan Baan: habitações engenhosas em locais inesperados

Em setembro deste ano o reconhecido fotógrafo de arquitetura, Iwan Baan, fez uma interessante apresentação para o TED. Iwan Baan captura, através de sua câmera, as impressionantes formas como as pessoas configuram seu próprio espaço construído, e suas imagens nos mostram a criatividade e a capacidade de adaptação dos seres humanos ao mundo que nos rodeia.

Desde arquiteturas sofisticadas de renomados arquitetos a habitações artesanais, Iwan Baan se relaciona com o ser humano através de sua capacidade de fotografar a arquitetura e documentar a interação das pessoas em seu interior.

Tal como existem cidades antigas, como Roma, existem também outras novas, como Dubai. Do mesmo modo, existem cidades inteiras projetadas por grandes arquitetos, sobre as quais se sobrepõem novas cidades, desenhadas por seus habitantes que buscam adaptar-se a suas próprias necessidades.

Um dos casos apresentados por Iwan Baan é a cidade de Chandigarh, na Índia, projetada por Le Corbusier:

Agora, 60 anos depois, a cidade está sendo invadida por pessoas com costumes totalmente distintos do que, quiçá, fora a intenção original. Como aqui, onde se vê as pessoas sentadas nas janelas do pavilhão de reuniões.

A apropriação dos espaços por parte das pessoas, uma vez que o arquiteto responsável já não está presente, é parte do interesse de Iwan Baan, que através de um magnífico trabalho fotográfico nos mostra como as pessoas constróem em lugares inesperados.

Torre David. Image ©  Iwan Baan
Torre David. Image © Iwan Baan

De uma vista aérea é possível distinguir como cada esquina da capital da Venezuela está coberta por populações e bairros marginalizados. No centro de Caracas, encontra-se a Torre David, um edifício incompleto de 45 pavimentos que estava em construção até o colapso da economia da Venezuela, seguido pelo falecimento de seu empreendedor imobiliário no início dos anos 90. Este edifício construído pela metade foi convertido, durante os últimos oito anos, em um espaço público-privado, onde residem mais de 3.000 pessoas que cada dia entram e saem por uma só porta. O edifício tornou-se uma verdadeira cidade onde seus habitantes encontraram soluções em reposta às diversas necessidades que surgem ao se morar em uma torre de 45 andares inacabada e sem elevadores.

Torre David. Image ©  Iwan Baan
Torre David. Image © Iwan Baan

Sem conhecimentos sobre projeto arquitetônico, criaram uma forma única, uma cidade viva, uma micro economia com pequenos negócios e supermercados e, inclusive, cabelereiros. O estacionamento vizinho foi anexado, criando rotas para táxis que facilitam a subida, quanto possível. Com a vantagem de já ter resolvido o problema do teto, as pessoas têm solucionado outras questões como a transparência, a circulação e ventilação, sempre adaptando-se às condições do lugar, criando uma fachada mutante que varia de acordo com as necessidades de cada um.

Iwan Baan explica que quando um novo residente se muda ao edifício marca seu território com lençóis e outros itens que tem em mãos. A seguir tomam decisões de projeto como, por exemplo, se utilizam ladrilhos vermelhos para dividir um espaço e, se não dispuserem da quantidade suficiente, preocupam-se em utilizar um papel de parede que se assemelhe ao material utilizado anteriormente, para formar um espaço visualmente contínuo. Esse é mais que um teto para ele, é um lugar e deve ser bem visto. A Torre conta com todo tipo de serviços, incluindo pequenas indústrias, igrejas e um ginásio no trigésimo pavimento.

Escuela Flotante. Image ©  Iwan Baan
Escuela Flotante. Image © Iwan Baan

No caso de Makoko, na Nigéria, 150 mil pessoas vivem sobre a água, com uma trama de canais que conectam todas as residências. Com sistemas de água, eletricidade e infraestrutura básica, a população de Makoko conseguiu adaptar-se ao lugar convertendo canoas em pequenos negócios e criando um sistema econômico baseado na pesca. O local conta com lojas e, inclusive, salas de cinema, no entanto o espaço público se limita a uma escola pública flutuante de três pavimentos construída no começo deste ano pelo escritório NLÉ Arquitectos. O primeiro pavimento da escola funciona como uma área de jogos no horário das aulas e, durante a tarde, converte-se num espaço de trabalho que responde às necessidades físicas e sociais da comunidade. À noite, Makoko é iluminada, em certos pontos, por uma pequenas fogueiras.

Na cidade do Cairo encontramos um povoado de 50 a 70 mil pessoas chamado Sabeleen. No ano de 1980 um grupo descendente de agricultores decidiu estabelecer-se no lado oriental da cidade do Cairo. Sem planejamento ou qualquer arquiteto, a comunidade, cuja economia baseava-se principalmente na coleta de lixo, construiu edifícios de vários pavimentos. O primeiro nível de cada edificação é utilizado para as atividades relacionadas ao lixo e cada apartamento é distinto ao outro, há desde uma granja para vacas a espaços luxuosamente decorados.

China. Image ©  Iwan Baan
China. Image © Iwan Baan

Na província de Shaanxi, na China, 40 milhões de pessoas vivem em casas conhecidas como yaodongs. Seu projeto data da época de bronze da China, na dinastia Xia (2 mil anos a.C.). As habitações, quadradas ou retangulares construídas mediante a técnica de subtração, estão literalmente construídas sete metros abaixo da terra. As habitações têm a capacidade de manter-se frescas no verão e quentes durante o inverno, já que a terra age como isolante térmico. Para a comunidade, esta é a maneira mais lógica de se viver sem dinheiro; sem poder comprar materiais, seu projeto e construção estão intimamente ligados às circunstâncias do ambiente onde vivem.

Cita: Hites, Michelle. "Iwan Baan: habitações engenhosas em locais inesperados" [Iwan Baan: Viviendas ingeniosas en lugares inesperados] 25 Nov 2013. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <https://www.archdaily.com.br/154944/iwan-baan-habitacoes-engenhosas-em-locais-inesperados> ISSN 0719-8906