Ampliar imagem | Tamanho original
Só em 2013 cerca de 1 milhão de pessoas saíram da Síria para escapar de um conflito civil travado há mais de dois anos. O total de refugiados sírios está bem acima de 2 milhões, um número sem precedentes e uma realidade perturbadora que colocou os países que acolhem estes refugiados sob imensa pressão em relação a infraestrutura. Os países tem ao menos um protocolo a seguir. Manuais da ONU são consultados e utilizados para informar uma abordagem apropriada quanto ao planejamento dos acampamentos. A terra é negociada e uma organização em grelha é definida. O método, em geral, é meticuloso - adequado para uma questão com prazo de validade. Ou seria, se a questão fosse, de fato, temporária. Acampamentos não fazem as malas junto com as equipes de jornalistas. O tempo de vida médio de um campo de refugiados vai de sete a dezessete anos (os relatos variam), e muitos duram mais. São terreno fértil para doenças e crimes violentos - e conforme os campos crescem e os anos passam, relatos de violência contra mulheres aumentam desproporcionalmente. Enta tendência não passa despercebida - Architecture for Humanity e seus parceiros estão levantando fundos para um projeto que pretende criar uma "série de espaços seguros de boas vindas que podem funcionar como pontos nodais dentro dos campos". O projeto é um excelente primeiro passo e deveria ser considerado um precedente para futuras intervenções arquitetônicas em assentamentos de refugiados. Veja mais Veja a descrição completa
Compartilhar Compartilhar