O site de arquitetura mais visitado do mundo
i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

Inscreva-se agora para salvar e organizar seus projetos de arquitetura

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

Encontre os produtos mais inspiradores do nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

i

En todo el mundo, arquitectos están encontrando maneras geniales para reutilizar edificios antiguos. Haz clic aquí para ver las mejores remodelaciones.

Quer ver os melhores projetos de remodelação? Clique aqui.

i

Mergulhe em edifícios inspiradores com nossa seleção de 360 ​​vídeos. Clique aqui.

Veja nossos vídeos imersivos e inspiradores de 360. Clique aqui.

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Projeto Urbano A8erna: ativar o “terrain vague”

Projeto Urbano A8erna: ativar o “terrain vague”

Projeto Urbano A8erna: ativar o “terrain vague”
Projeto Urbano A8erna: ativar o “terrain vague”, ©  Luuk Kramer. Fuente: nlarchitects.nl
© Luuk Kramer. Fuente: nlarchitects.nl

Arquitetos: NL Architects
Localização: Koogaan de Zaan, Zaanstad, Holanda
Data de Execução: 2003 – 2006
Área: 22.500m² de espaço público, 1.500m² de comércio
Orçamento: 2.100.000 de Euros

“Terrain vague” é uma expressão francesa inventada pelo catalão Ignasi de Solà-Morales, acadêmico em urbanismo, para se referir aos lugares abandonados, obsoletos ou degradados. Estes costumam surgir em torno de áreas industriais que não têm um limite fixo. No entanto, a definição não diz respeito somente a terrenos baldios e abandonados, mas em geral, qualquer área vazia, com um potencial para revitalização, como linhas ferroviárias abandonadas, fábricas em desuso, bordas de rios, infraestruturas obsoletas, para citar algumas. Sem dúvida, ‘terrain vague” refere-se a alguns fenômenos que ocorrem frequentemente em cidades pequenas especializadas ou grandes metrópoles que crescem e sofrem mudanças constantes. Claro, essas questões são crescentes nos dias de hoje.

Mas como revitalizar ou adaptar estas zonas urbanas que, geralmente constituem uma área improdutiva e segregada territorialmente? No caso deste artigo, responde-se com um exemplo pontual e simples que expõe algumas oportunidades que temos: o projeto A8erna.

Projeto Urbano A8erna: ativar o “terrain vague” Projeto Urbano A8erna: ativar o “terrain vague” Projeto Urbano A8erna: ativar o “terrain vague” Projeto Urbano A8erna: ativar o “terrain vague” + 20

Este é um projeto de revitalização urbana que ocupa o espaço abaixo de uma rodovia elevada, A8 (de onde tira o seu nome, A8erna) em Koogaan de Zaan, Holanda. Para contextualizar, Koog é uma pequena cidade próxima de Amsterdam,nas margens do rio Zaan, um dos milhares que compõem a geografia dos Países Baixos.No início dos anos 70, começou-se a construir esta autoestrada elevada sobre pilotis para atravessar o rio. Esta é traçada no meio da cidade, gerando um corte radical no tecido urbano, sendo que a igreja da cidade e o resto do município ficaram em lados opostos.

© © Jeroen Musch. Fuente: nlarchitects.nl
© © Jeroen Musch. Fuente: nlarchitects.nl

O escritório de arquitetura NL viu uma oportunidade na espécie de "catedral alongada" que se formaram entre os pilares sob a estrada e formulou o "documento cidadão A8ernA" em estreita relação com os citadinos. Este é um pedido formal que mostra nos terrenos baldios a oportunidade de pedir mais instalações públicas e controle sobre o vandalismo abaixo da rodovia.

Daí surgiu o projeto A8erna, uma cadeia de intervenções de programas públicos e equipamentos que aproveita a rodovia para configurar um grande espaço urbano coberto. Esta série  é composta por uma pista de skate, uma galeria de graffiti, uma quadra poliesportiva, um supermercado, uma floricultura e uma peixaria, estacionamentos para 120 automóveis e uma pequena marina.

A intervenção coberta complementa-se com outros programas e elementos ao longo da borda da rodoviacomo, por exemplo, uma parada de ônibus, praças e o redesenho total da orla do rio, que havia sido degradada pelo recente adensamento não planejado da borda.

Cortesia de Fuente: nlarchitects.nl
Cortesia de Fuente: nlarchitects.nl

Em conjunto com o projeto de grande escala, foram projetados detalhes que respondem aos pedidos particulares das demandas cidadãs iniciais. Por exemplo, o revestimento externo do supermercado é de chapas metálicas corrugadas para desincentivar as intervenções de graffiti nos muros e orientá-los para a pista de skate e a galeria.

© © Jeroen Musch. Fuente: nlarchitects.nl
© © Jeroen Musch. Fuente: nlarchitects.nl

Os estacionamentos organizam-se em torno do volume do supermercado para corrigir a forma desordenada e ineficiente em que se estacionavam os automóveis no terreno baldio anteriormenteao projeto.

© © Jeroen Musch. Fuente: nlarchitects.nl
© © Jeroen Musch. Fuente: nlarchitects.nl

Também, na região mais próxima do rio, criou-se uma pequena baía que atua como marina, cancha aquática e entrada para o canal.

Desta maneira, o projeto transforma o que era uma cicatriz urbana, segregadora e vazia, em um elemento integrador do espaço urbano. Segundo o memorial de projeto, passa de um espaço periférico residual a um centro, de um estacionamento informal a um lugar dinâmico com vários usos, de um “terrain vague” a um ponto focal. Tudo isso com a simples e econômica intervenção de localizar um programa aproveitando uma (grande) cobertura existente e configurar um espaço com formas e materialidade de qualidade.

© © Jeroen Musch. Fuente: nlarchitects.nl
© © Jeroen Musch. Fuente: nlarchitects.nl

Se quisermos trazer as principais observações deste projeto para áreas de outros países, poderíamos ver que partes das estratégias deste projeto já estão presentes de forma bastante particular. No caso da cidade de Santiago do Chile, como exemplo, nas saídas de algumas estações das linhas 4 ou 5 do Metrô pode-se ver uma quantidade considerável de comércios que utilizam a infraestrutura elevada do trem. Isso se apresenta de maneira notável na estação Macul (L4) que dispõe de mais de 100 metros lineares de espaços vazios sob o viaduto e em sua saída norte localizam-se abundantes espaços comerciais informais, mas auspiciosos e casuais.Acomodar permanentemente estes comerciantes poderia se tornar uma iniciativa de arquitetura pública a um custo muito baixo.

© © Jeroen Musch. Fuente: nlarchitects.nl
© © Jeroen Musch. Fuente: nlarchitects.nl

No entanto, enquanto estas são fáceis oportunidades de intervenções espaciais, existem outros tipos de oportunidades, na natureza da integração territorial, que não podem ser importadas com a mesma facilidade. Neste outro sentido, A8ernA consegue integrar ambos os lados da estrada principalmente por estar a 7 metros acima do solo. Em outros lugares, onde, infelizmente, o planejamento conforma rupturas no território ao nível do solo, as soluções de sucesso acabam sendo muito mais caras e complexas.

© Via flickr.com, ©RiveraNotario.
© Via flickr.com, ©RiveraNotario.

Por Álvaro Castro Sebastián, via Plataforma Urbana. Tradução Eduardo Souza, ArchDaily Brasil.


Ver a galeria completa

Sobre este autor
Romullo Baratto
Autor
Cita: Romullo Baratto. "Projeto Urbano A8erna: ativar o “terrain vague”" 19 Ago 2013. ArchDaily Brasil. Acessado . <https://www.archdaily.com.br/135024/projeto-urbano-a8erna-ativar-o-terrain-vague> ISSN 0719-8906

¡Você seguiu sua primeira conta!

Você sabia?

Agora você receberá atualizações das contas que você segue! Siga seus autores, escritórios, usuários favoritos e personalize seu stream.