i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. Por que amamos GIFs?

Por que amamos GIFs?

Por que amamos GIFs?

via GIPHY

Os GIFs hoje são massivamente usados na Internet por pessoas de todos os lugares. Seja para expressar algum sentimento inexplicável em palavras, surtar com gatos fofos, zoeiras intermináveis ou ainda cenas hipnóticas de filmes que amamos (acima a cena do filme "Meu Tio" do Jacques Tati . Mas vemos o crescente uso desse formato na Arquitetura e, sem dúvidas alguma, nós amamos.

Para entender melhor este tipo de arquivo, comecemos explicando o que é um Graphics Interchange Format (em tradução livre Formato para Intercâmbio de Gráficos).

Quando vamos trocar imagens pela Internet, geralmente utilizamos formatos de arquivos que reduzem a quantidade de dados armazenados, ex. .jpeg, .gif ou .png. Dessa forma o fluxo de dados se torna mais rápido e versátil, mas há sempre perda de qualidade, atribuída a quantidade de cores ou pixels. 

Pensando na eficácia na troca de arquivos gráficos, em 1987, a CompuServe, uma das primeiras empresas no mundo a fornecer conexão à Internet e posteriormente fundida com a America Online (AOL), foi responsável pela criação do GIF, com o objetivo de substituir o RLE (Run-lenght) que oferecia a compressão apenas com duas cores, preto e branco. O novo formato oferecido pela empresa permitia que imagens relativamente grandes fossem baixadas em tempo razoável, considerando as conexões da época.

via GIPHY

Mas o que mais nos interessa nesse formato tão disseminado hoje é a possibilidade de criar animações juntando uma série de imagens estáticas e foi com essa característica que o GIF se popularizou ao ser utilizado no logo do Netscape, sendo na época (1993) o único navegador que suportava esse formato.

Até que, em 1997, o desenvolvedor web, John Woodell elaborou um método de conversão de vídeos em GIFs e acabou criando o que provavelmente foi o primeiro viral em formato GIF da história, o “Baby Cha-Cha", que foi feito a partir de um video criado em 3D pelos desenvolvedores da Character Studio.

via GIPHY

Também neste ano, Olia Lialina, pioneira em web-art, investe na produção de uma série chamada “My boyfriend came back from the war. After dinner they left us alone.” Segundo uma entrevista publicada no The Daily Dot, Olia preferia trabalhar com vídeos, mas o formato GIF era o único jeito de ter imagem em movimento em um navegador da Internet.

via GIPHY

Desde então, muitos outros artistas vêm desenvolvendo, em diversos estilos, curtas animações que nos fazem perder um certo tempo do nosso dia. Veja alguns:

Lacey Micallef, a ex-professora de educação infantil que resolveu investir em pixelart.

via GIPHY

via GIPHY

Yang Hua Chun, o chinês apaixonado por animações de desenhos feitos à mão

via GIPHY

via GIPHY

 A estética de jogos antigos do Uno Moralez

via GIPHY

via GIPHY

As ilustrsações em movimento da artista Annlin Chao

via GIPHY

via GIPHY

Os GIFs feitos em Processing do Dave Whyte

via GIPHY

via GIPHY

O artista gráfico e diretor de animação Nicolas Ménard

via GIPHY

via GIPHY

A recriação das cenas clássicas do cinema feitas pelo artista Bruno Alberto

via GIPHY

via GIPHY

E os desenhos dos arquitetos do Vapor 324

via GIPHY

via GIPHY

Há um outro tipo de GIF que deixa as pessoas hipnotizadas. Os que explicam coisas banais do nosso cotidiano e que nunca paramos para entender como funcionam.

via GIPHY

via GIPHY

Assim como explicar os mecanismos de uma fechadura ou máquina de costura, na Arquitetura podemos explicar de maneira rápida, e com movimento, funcionalidades ou processos específicos de uma obra, um encaixe estrutural, uma fachada que se transforma ou ainda uma série de diagramas que mostram o caminho até o projeto final. A potência dessa ferramenta está em saber como sequenciar as imagens, montando um roteiro inteligente que, em loop, poderá contar uma pequena história sobre seu projeto. Há algum tempo estamos encorajando os arquitetos a criarem GIFs sobre os projetos enviados e vemos uma considerável diferença no entendimento de suas obras. Veja alguns exemplos publicados:

Detalhe de sombreamento retrátil proposto pelo escritório REX

A implantação mostrada em partes no projeto Nautilus / TEN + NGO City Creative Network

As plantas desenhadas como cenário de Pac-Man feita para o projeto do Osolzip / B.U.S Architecture

As axonométricas explicando as intervenções:

Apartamento 107N / BLOCO Arquitetos

Museu Perot da Natureza e da Ciência / Morphosis

Edifício da Faculdade de Antropologia Tozzer - Harvard / Kennedy & Violich Architecture

Bom, já fizemos outras publicações sobre o assunto. Veja abaixo bons GIFs arquitetônicos e algumas dicas.

7 dicas de como usar GIFs animados em apresentações de projeto

Introduzir movimento em desenhos e diagramas é um excelente modo de mostrar o desenvolvimento e progresso das ideias fundamentais de um projeto. GIFs animados podem, portanto, ser ferramentas úteis para melhorar suas apresentações, explicando rapidamente uma grande quantidade de informações.

Os melhores desenhos arquitetônicos de 2015

A representação arquitetônica, tal como a conhecemos hoje, decorre de representação esquemática greco-romana, que foi baseada na observação cuidadosa das formas naturais. O tamanho aparente da composição é determinado pela sua proximidade em relação à cena representada, organizada num contexto de paisagem.

Como criar GIFs animados no Revit

Este artigo foi originalmente postado por nosso parceiro ArchSmarter. O ArchDaily recentemente postou um interessante artigo sobre como utilizar GIFs animados para desenhos de arquitetura. Aquela postagem tinha alguns bons exemplos mas poderia ser superficial em como realmente criar estas imagens. Eu estava curioso para saber como criar GIFs animados utilizando Revit, então fui pesquisar sobre o processo.

Outra maneira igualmente eficaz de criar essas pequenas narrativas é através de sequencias fotográficas ou curtos trechos de vídeos. Aqui as imagens mostram movimentos simples, mas que levariam alguns cliques sucessivos no mouse para entender a situação desejada.

Kiev / Arquitetura Nacional

Capela San Bernardo / Nicolás Campodonico

20th Street / Mork-Ulnes Architects

Casa Cubos / Studio [+] Valéria Gontijo

 Casa R|D / Esquadra|Yi

Splash / Manuel Ocaña

Casa Cofre / Robert Konieczny KWK Promes

Casa Verde / Sean Godsell Architects

"Real Seminario de Bergara" / VAUMM

Veja abaixo uma explicação muito simples de como fazer um GIF no Photoshop a partir de imagens sequenciais. 

Possivelmente não conseguiremos dar motivos suficientes para entender porque gostamos tanto dos GIFs. Pode ser a maneira como são feitos os cortes de cenas em uma narrativa curtíssima, os temas interessantes, as cores ou a repetição infinita de poucos frames, mas o que sabemos com certeza é que além de divertidos e lindos, podem ser muito úteis para a apresentação de um projeto.

Por fim, deixamos abaixo algumas maravilhas arquitetônicas.

Antidote to Modernism: Feifei Feng's Bespoke Intervention on Slab Housing in Jinan

Os GIFs do Axel de Stampa

Do Michael William Lester

O curta do Luke Shepard

Algumas referencias: http://www.dailydot.com/upstream/gif-history-steve-wilhite-olia-lialina-interview/http://www.makeuseof.com/tag/gifs-language-internet-history-culture-art-future/https://pt.wikipedia.org/wiki/Graphics_Interchange_Format

Veja mais:

Notícias Artigos
Cita: Pedro Vada. "Por que amamos GIFs?" 10 Jan 2017. ArchDaily Brasil. Acessado . <http://www.archdaily.com.br/br/795696/por-que-amamos-gifs>
Ler comentários