i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
  1. ArchDaily
  2. Notícias
  3. 9 razões para se tornar um arquiteto

9 razões para se tornar um arquiteto

9 razões para se tornar um arquiteto
9 razões para se tornar um arquiteto, © Leandro Fuenzalida
© Leandro Fuenzalida

Tomar a decisão de fazer arquitetura não é fácil. Frequentemente jovens estudantes pensam que têm que ser talentosos no desenho, ou serem especialistas em matemática já na hora de se inscrever no vestibulares para arquitetura. Uma vez dentro, muitos estudantes se sentem sobrecarregados com a grande quantidade de tarefas pela frente. 

Ao passo que o caminho para se tornar um arquiteto varia de país para país, o tempo médio para se graduar em arquitetura costuma ser de 5 anos, e após isso existe frequentemente o fardo adicional do licenciamento que dura outros dois anos. Conhecendo esses números, não é muito encorajador descobrir que o arquiteto médio não ganha tanto quanto os médicos ou advogados, ou que 1 em cada 4 estudantes de arquitetura no Reino Unido estão procurando tratamento para questões de saúde mental. Esses são os aspectos que a arquitetura precisa trabalhar enquanto indústria. No entanto, apesar desses problemas, existe ainda uma série de razões muito gratificantes para se apaixonar pela indústria e se tornar um arquiteto. Aqui estão apenas algumas delas. 

Architects are able to unleash their creativity. Image © Leandro Fuenzalida
Architects are able to unleash their creativity. Image © Leandro Fuenzalida

1. Arquitetos são capazes de liberar sua criatividade

O aspecto mais bonito da arquitetura enquanto profissão é como a profissão abraça e compreende a individualidade de cada pessoa, na maioria dos casos. Claro, projetar edifícios é por si um exercício criativo gratificante; mas mesmo por trás disto, é permitido a você, e na verdade incentivado, que se tenha um estilo próprio que possa o manifestar além de seu trabalho. A ideia de querer viver uma "vida autêntica" tem sido uma tendência ultimamente, e ser um arquiteto pode certamente servir como caminho para o desejo de morar de maneira criativa: vestir o que bem entender, usar óculos diferentões e apenas se expressar através de seu estilo de vida. Este curta que recebeu indicação ao Oscar é um exemplo que demonstra quão divertido pode ser.

2. Arquitetos conseguem (de maneira muito clara) ver os frutos de seu trabalho

Talvez a maior das vantagens de ser um arquiteto é ter uma obra ao longo da vida que permanece depois que você se foi para lembrar as pessoas de seus esforços. É possível de fato viver uma vida muito maior que sua mortalidade permite graças aos edifícios que você criou e que te representam. Devido a "natureza material" literal de seu trabalho, é difícil de duvidar de sua contribuição para a sociedade e o valor de seu trabalho quando ele tem dez pavimentos de altura e está bem na sua frente. Em alguns lugares, arquitetos são incentivados inclusive a assinar seus edifícios como artistas em uma placa ou uma inscrição; recentemente, uma nova política da Associação de Arquitetos de Ontario requer que novos edifícios maiores que 1.000 m² incluam o crédito proeminente do arquiteto que o projetou próximo da entrada ou da fachada principal.

Architects do not get bored in university. Image © Leandro Fuenzalida
Architects do not get bored in university. Image © Leandro Fuenzalida

3. Tédio não faz parte da formação do arquiteto

A Escola de Arquitetura é difícil, mas também é um período bastante divertido e empolgante por causa do dinamismo de sua experiência. Conhecimento e teorias de outras áreas são muito bem vindos dentro da arquitetura, e essas outras fontes podem ser tão variadas como trabalhos sociais, geografia, filosofia e economia. Devido à grande gama de conhecimento dos arquitetos, muitos programas das escolas de arquitetura defendem o aprendizado transdisciplinar para seus alunos, o que significa que você pode ter uma grande gama de tópicos inseridos nas suas aulas da arquitetura ou que você tem a oportunidade de ter aulas de conhecimentos variados, de estudos ambientais à ciências da computação. Se existe um assunto em particular que está interessado, é possível incorporá-lo dentro de seu trabalho arquitetônico.

Além disto, existe brecha para improvisação dentro da educação de arquitetura e é aqui que reside a diversão. Diferentes dos alunos de ciências exatas que têm que aderir uma formatação restrita com relatórios de laboratórios e os alunos de humanas que têm de passar por enormes quantidades de análise textual, os alunos de arquitetura são incentivados a abraçar a inovação. Quem disse que não pode incluir um componente de pesquisa bem informado com o seu projeto de apartamento? E quando faz trabalhos para uma aula de arquitetura, recursos visuais feitos por você muitas vezes permitem que explique suas ideias de forma mais clara e resulta em notas muito boas. Você é livre para fazer o que você acha melhor para comunicar suas ideias.

Architects are often specialists at everything. Image © Leandro Fuenzalida
Architects are often specialists at everything. Image © Leandro Fuenzalida

4. Arquitetos frequentemente conhecem um pouco de tudo

Como mencionado, o que faz a arquitetura ser um excitante campo de trabalho é a grande variedade de aprendizado e pesquisa que temos que conduzir numa base regular—e isso se estende muito além da carreira profissional de cada um. Não existe isso de ter conhecimento demais como um arquiteto. Cada projeto é uma janela para pesquisa sobre novas tecnologias, teorias de organização, ou métodos de construção. Para articular essa informação em seus projetos de edifício, é preciso entender muito rapidamente conhecimento especializado sobre uma técnica específica se deseja incluir, a fim de colaborar com os profissionais correspondentes. Como regentes de orquestra composta por toda a equipe de construção, os arquitetos se tornam especialistas em tudo.

5. Arquitetos aprendem em ser muito bons em defender suas opiniões

Para cada indivíduo haverá uma série de edifícios que apenas acham lindo. Muitos estudantes mergulham no mundo da arquitetura porque foram emocionalmente afetados por um lindo edifício, mas na sala de aula "bonito" não é necessariamente uma qualidade que vai convencer os colegas e os professores. Esta regra simples é que se você gosta de uma forma, um motivo, um detalhe ou qualquer outra coisa, é preciso ir além do "lindo" e fazer caso para sua existência como um "aspecto profundo da articulação experimental do mundo construído" (ou qualquer outra frase que seu colega te ofereça ). Isto dá origem a debate vivo e estimulante entre os profissionais de arquitetura que também se estende ao discurso escrito. Literatura arquitetônica contém vocabulário muito colorido e um estilo retórico que é nada menos do poesia pura.

Architects can manage stress... and lots of it. Image © Leandro Fuenzalida
Architects can manage stress... and lots of it. Image © Leandro Fuenzalida

6. Arquitetos podem lidar com estresse... e em grandes quantidades

Questões de saúde mental se espalham como praga em escolas de arquitetura por muitas razões que não podem ser determinadas de maneira muito clara. Mas causas de stress sempre irão existir em  qualquer situação, em qualquer trabalho, e em qualquer disciplina. Enquanto os desafios de saúde enfrentados por muitos estudantes de arquitetura nçao deveriam ser banalizados, existem muitas pessoas que emergem na força de trabalho como indivíduos saudáveis que são incrivelmente resilientes frente as difíceis questões da vida. Frequentar uma escola de arquitetura o leva através de uma profunda jornada de introspecção, compreensão de suas necessidades, e descobrir como é possível ter êxito em seus próprios termos.

7. Arquitetos são capazes de fazer o que amam pelo resto da vida

Ao assumir o que se ama é arquitetura, parece não haver barreiras em continuar a fazer o que você ama mesmo depois da idade de se aposentar. Como diz o ditado "escolha um trabalho que você ama e não vai precisar trabalhar nenhum dia de sua vida". Muitos dos mestres da arquitetura de hoje em dia ainda estão a frente de suas exitosas empresas de arquitetura décadas após a idade de se aposentar e estão aprimorando seu ofício tão ardentemente como antes - como se nunca tiveram que trabalhar um dia sequer em suas vidas. Frank Gehry está ativamente construindo seus projetos com 87 anos, Norman Foster lidera mais de 140 parceiros em seu escritório aos 81 anos, e Zaha Hadid ganhou a Medalha de Ouro do RIBA aos 65. Não podemos esquecer dos brasileiros Paulo Mendes da Rocha que também é ativo aos seus 87 e talvez o caso mais espetacular, Oscar Niemeyer ainda estava envolvido com projetos ocasionais até a sua morte, dez dias antes de seu aniversário de 105 anos..

Architects are held in high esteem. Image © Leandro Fuenzalida
Architects are held in high esteem. Image © Leandro Fuenzalida

8. Arquitetos ainda possuem certa autoestima

Graças à sua origem como a "mãe das artes" e seu consequente desenvolvimento como uma profissão influente, arquitetura alcançou um reconhecimento quase universal como uma profissão nobre. Em seu trabalho, arquitetos interagem com clientes dos escalões mais altos da sociedade. Com muitos dos mitos e lendas envolvem a arquitetura fora da profissão em si existe uma certa reverência ligada aos arquitetos, e você pode aproveitar desta vantagem para impressionar outras pessoas enquanto ainda tem a oportunidade de fazer algo que esteja realmente interessado em fazer.

9. Arquitetos ajudam a melhorar a vida de várias pessoas

Arquitetura Moderna, como a conhecemos hoje, surgiu em um período de levante social no século XX. Na esperança de criar um mundo melhor para todos, os visionários da arquitetura moderna desenvolveram uma retórica heroica que continua a inspirar arquitetos até hoje - mesmo se ainda não tenhamos conseguido recapturar este espírito. Por um breve momento, perdemos a esperança neste esforço mas práticas emergentes estão revigorando agenda social da arquitetura de hoje.

Arquitetura sempre quer ajudar pessoas e quando o faz é um sentimento incrivelmente satisfatório. Infelizmente, arquitetos são os maiores críticos da arquitetura e frequentemente existe uma grande foco em quando a arquitetura não funciona, ao invés de quando ela o faz. É preciso não esquecer as pequenas 'farpas' do sucesso, a mulher idosa que está confortável em seu apartamento transicional; o filho que é extramente grato aos arquitetos que reformaram a casa de sua mãe em uma humilde vizinhança; ou o humilde trabalhador que encontra lazer ao se distrair observando os arranhacéus que populam sua comunidade diariamente. Arquitetura é significante e a habilidade de tocar uma parte integral da vida de alguém é uma boa razão para se tornar um arquiteto.

Cita: Doroteo, Jan. "9 razões para se tornar um arquiteto" 06 Set 2016. ArchDaily Brasil. (Trad. Santiago Pedrotti, Gabriel) Acessado . <http://www.archdaily.com.br/br/794333/9-razoes-para-se-tornar-um-arquiteto>
Ler comentários