i

Inscreva-se agora e organize a sua biblioteca de projetos e artigos de arquitetura do seu jeito!

i

Encontre os melhores produtos para o seu projeto em nosso Catálogo de Produtos

i

Instale o ArchDaily Chrome Extension e inspire-se a cada nova aba que abrir no seu navegador. Instale aqui »

Tudo
Projetos
Produtos
Eventos
Concursos
Navegue entre os artigos utilizando o teclado
  1. ArchDaily
  2. Projetos
  3. Pavilhão
  4. Brasil
  5. João Diniz Arquitetura
  6. Pamp. Pavilion / João Diniz Arquitetura

Pamp. Pavilion / João Diniz Arquitetura

Pamp. Pavilion / João Diniz Arquitetura
Pamp. Pavilion / João Diniz Arquitetura, © Bel Diniz
© Bel Diniz

© Bel Diniz © Bel Diniz © Bel Diniz © Bel Diniz + 21

  • Arquitetos

  • Localização

    Belo Horizonte, Belo Horizonte - Minas Gerais, Brasil
  • Projetos pavilhão e jardim

    João Diniz e José Baccarini
  • Área

    45.0 m²
  • Fotografias

  • Fabricação

    Accero (dir. Beatriz Quaresma e Iara Napoli)
  • Equipe Accero

    Fabio Adriano Pereira da Silva (coord.), Fábio Adriano Santos Silva, Tiago Matos, Alvaro Soares
  • Luminotecnia

    Luce projetos (p/ Junia Carsalade)
  • Luminárias

    Abajour de Arte (p/ Adriana Vasconcelos)
  • Execução do Jardim

    Israel Neves e Marcelo Xunda
  • Stones

    Ecoseixos (w / Claudio)
  • Eletricistas

    Enoch e Alexandre
  • Apoio

    CEAP (p/ Andrea e Sodré)
  • Aço

    SAE 1020 oxidado
  • Peso total

    1.8 ton.
  • Mais informações Menos informações
© Bel Diniz
© Bel Diniz

Do arquiteto. Este pequeno pavilhão funciona como portal de entrada da mostra de arquitetura e design Casa Cor MG 2015 em Belo Horizonte, onde ‘Brasilidade’ foi o tema proposto.

Axonométrica Explodida
Axonométrica Explodida

‘Essência Mineral’ foi o conceito adotado onde o aço oxidado, material que remete diretamente aos minérios siderúrgicos do estado de Minas Gerais, é usado integralmente na forma como é fornecido, ou seja, em bobinas ou fitas metálicas que definem o plano contínuo projetado conformando a superfície do piso, parede e teto.

© Bel Diniz
© Bel Diniz

Essas chapas em forma semi-elíptica aparecem em três fitas paralelas de 1,0 m. e são estruturadas por quatro vigas caixas de 3,0 x 10,0 cm. Recobrindo toda a superfície estão as travessas de 10,0 x 1,0 cm que promovem o sombreamento das chapas de cobertura e fechamento. As chapas têm 2,0 mm em todas as partes da construção.

Corte
Corte

Essa forma contínua e orgânica do pavilhão sugere uma referência prospectiva às arquiteturas orgânicas de Niemeyer na Pampulha, local do evento.

© Bel Diniz
© Bel Diniz

O jardim em torno do pavilhão confronta duas realidades do paisagismo contemporâneo. Na parte frontal, cangas de minério e folhagens como bromélias e capim dos pampas constituem uma tipologia mais rústica, com boa captação e retenção de água. Na parte posterior, o ambiente é seco, com a presença de agaves, do mandacaru já existente no local e forração à base de pó e detritos de mármore, alertando para um indesejável futuro de escassez hídrica.

© Bel Diniz
© Bel Diniz
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato. Cita: "Pamp. Pavilion / João Diniz Arquitetura" [Pamp. Pavilion / Joao Diniz Arquitetura] 16 Out 2015. ArchDaily Brasil. (Trad. Delaqua, Victor) Acessado . <http://www.archdaily.com.br/br/775436/pavilhao-pamp-joao-diniz-arquitetura>