Nest We Grow / Faculdade de Projeto Ambiental UC Berkeley + Kengo Kuma & Associates

Nest We Grow / Faculdade de Projeto Ambiental UC Berkeley + Kengo Kuma & Associates
Nest We Grow  / Faculdade de Projeto Ambiental UC Berkeley  + Kengo Kuma & Associates, © Shinkenchiku-sha
© Shinkenchiku-sha

© Shinkenchiku-sha © Shinkenchiku-sha © Shinkenchiku-sha © Shinkenchiku-sha +36

  • Equipe de Projeto

    Hsiu Wei Chang, Hsin- Yu Chen, Fenzheng Dong, Yan Xin Huang, Baxter Smith (Instructors: Dana Buntrock, Mark Anderson)
  • Supervisores do Projeto

    Kengo Kuma & Associates, Takumi Saikawa
  • Engenharia Estrutural

    Masato Araya
  • Engenharia Mecânica

    Tomonari Yashiro Laboratory at the Institute of Industrial Science, University of Tokyo / Bumpei Magori, Yu Morishita
  • Empreiteira

    Takahashi Construction Company
© Shinkenchiku-sha
© Shinkenchiku-sha

Do arquiteto. Em resposta a um concurso internacional de projeto e construção, nossa equipe propôs uma abordagem essencialmente californiana abrangendo muitas ideias ainda novas para a Ásia, de onde a maioria de nós viemos. Essas ideias formaram o Nest we Grow, que cresceu de um interesse compartilhado em materiais que compõem o nosso ambiente, focando em materiais renováveis.

Corte Perspectivado
Corte Perspectivado

Nest We Grow venceu o 4ª Concurso Anual LIXIL Internacional de projeto-construção, em 2014, e ao contrário das estruturas construídas nos primeiros anos da competição, essa é uma estrutura aberta, pública. Seu principal objetivo é trazer as pessoas da comunidade em conjunto para armazenar, preparar e saborear alimentos locais em Hokkaido, no Japão.

© Shinkenchiku-sha
© Shinkenchiku-sha

Nossa equipe de alunos graduados, composto de dois taiwaneses, dois chineses e um norte-americano, procurou examinar que elementos estruturais e materiais poderiam se combinar para criar esse espaço orientado à comunidade e aos alimentos. Reconhecemos como os materiais e ações modestas são celebradas em Berkeley e queríamos explorar suas implicações na Ásia.

© Shinkenchiku-sha
© Shinkenchiku-sha

Nossa pesquisa inicial começou com técnicas que encontramos facilmente na Califórnia, incluindo paredes de taipa - e construção de palha. Apresentamos essas ideias na busca de um edifício que iria introduzir técnicas renováveis de construção para uma área do Japão que poderia tirar proveito desses conceitos. O que encontramos foi a valorização da dificuldade de aplicação de tecnologias transnacionais em um novo ambiente.

© Shinkenchiku-sha
© Shinkenchiku-sha

Também focamos numa técnica construtiva em madeira pesada proveniente dos EUA, que usa grandes seções de madeira. No Japão foi traduzida para a coluna composta, que utiliza pequenos pedaços de madeira para gerar um pilar maior. Demandou um esforço considerável para identificar uma maneira de unir os materiais, que foi influenciado por tanto as práticas de carpintaria locais e do mercado de materiais japoneses. Também estávamos sob uma restrição de tempo considerável para todo o processo de construção, tendo apenas seis meses para conclusão.

© Shinkenchiku-sha
© Shinkenchiku-sha

A estrutura de madeira imita a experiência espacial vertical de uma floresta japonesa, a partir do qual o alimento é pendurado para crescer e secar. Uma plataforma para chá no meio do ninho cria um espaço de encontro, onde a comunidade pode visualmente e fisicamente desfrutar de comida em torno de uma lareira afundada. Alimentos locais constituem a elevação do ninho, enquanto as pessoas vêem a floresta flutuando sobre o relevo.

Diagrama 7
Diagrama 7

A parede na base do edifício, além de formar uma micro topografia, ajuda a bloquear o vento mais frequente de noroeste, no inverno. O ninho aproveita as telhas onduladas de plástico transparente na fachada e telhado, permitindo luz para as plantas, e aquecendo o espaço durante os meses mais frios, estendendo a usabilidade da estrutura.

© Shinkenchiku-sha
© Shinkenchiku-sha

Painéis de correr na fachada e o telhado abrem-se para facilitar a circulação de ar através da estrutura durante o verão e partes mais quentes do dia. A plataforma de chá situa-se no ninho, mantendo- no ar quente criada pela pele, durante os meses mais frios, e uma ventilação cruzada durante os meses quentes de verão.

Diagrama 6
Diagrama 6

A abertura da fachada do edifício permite que o edifício incorpore o ambiente natural circundante para o interior, mas que também possa ser fechado para criar um amortecedor entre as duas. O telhado, em forma de funil, coleta a água pluvial e a neve condensada. A água coletada é levada a tanques que são então utilizados para irrigar as plantas na parede de concreto. A forma significa a capacidade do ninho em trazer a natureza sob a forma de ar, água e luz.

© Shinkenchiku-sha
© Shinkenchiku-sha

Seu programa foi decidido de acordo com o ciclo de vida desses alimentos locais: cultivo, colheita, armazenamento, cozimento / refeições e compostagem, que reinicia o ciclo. Todos os membros da comunidade auxiliam para concluir cada etapa, permitindo que a estrutura torne-se uma plataforma para atividades de aprendizagem em grupo e convívio durante todo o ano. A participação da comunidade amplia e completa o ciclo de vida dos produtos locais, sendo uma relação simbiótica. Esta é a linha do tempo das pessoas e comida no ninho, e este é o ninho para as pessoas e os alimentos.

© Shinkenchiku-sha
© Shinkenchiku-sha
Localização aproximada, pode indicar cidade/país e não necessariamente o endereço exato. Cita: "Nest We Grow / Faculdade de Projeto Ambiental UC Berkeley + Kengo Kuma & Associates" [Nest We Grow / College of Environmental Design UC Berkeley + Kengo Kuma & Associates] 13 Abr 2015. ArchDaily Brasil. (Trad. Souza, Eduardo) Acessado . <http://www.archdaily.com.br/br/765181/nest-we-grow-college-of-environmental-design-uc-berkeley-plus-kengo-kuma-and-associates>