1° Lugar - Concurso de projetos: Praça Colinas de Anhanguera / HUS

 

Localizada em um bairro isolado e carente de equipamentos de lazer, a área de intervenção é um precioso logradouro que se tornará um espaço fundamental de usufruto da população. O projeto busca fazer com que uma praça se torne um elemento de ligação física e social do tecido urbano, reorganizando o seu traçado, qualificando os espaços públicos e potencializando o seu uso.

© Esphera Virtual

A conformação longilínea faz com que o terreno se estenda de uma área de movimentado trânsito e comércio junto Avenida Cândido Portinari, até uma área de uso predominantemente residencial junto à Rua José de Domé. Essas características determinaram a setorização básica do projeto: ao norte, o local destinado ao encontro, manifestações públicas, feiras e shows, e ao sul, a área de caráter mais esportivo e de passeio.

Localização © HUS

O traçado viário foi refeito, propõe-se o fechamento da atual via que corta a área de intervenção e a abertura de outra, continuação da Rua Manuel Martins, como uma travessia em nível, dando preferência para o pedestre que transita de um setor ao outro de maneira mais eficiente e segura.

© Esphera Virtual

Com essa nova configuração, foram eleitos pontos focais em cada setor, localizados nas principais vias de acesso do bairro ao conjunto. Esses pontos são marcados por coberturas semicirculares que abrigam diferentes equipamentos e se abrem à praça. A partir destes pontos desenvolvem-se os eixos organizadores que configuram os espaços abertos, a vegetação e todos os demais equipamentos. Esses eixos são expressos tanto por meio de desenho de piso, quanto pela disposição das palmeiras

Corte BB´ © HUS

No foco norte há um palco elevado, com cobertura em estrutura leve tensionada que se abre para a grande esplanada de eventos que, com suas elegantes palmeiras e seus jatos d’água, oferece uma divertida opção de lazer para os dias quentes e representa a marca registrada do projeto.

© Esphera Virtual

Sob a cobertura do foco sul implanta-se o ponto de apoio à administração dessa nova grande área de lazer, contando com sanitários, bicicletário, posto da guarda municipal e três salões de apoio que poderão abrigar atividades comunitárias, programas culturais e esportivos. Nesta área concentram-se as atividades de lazer do conjunto, contando com duas quadras poliesportivas, pista de skate, parque infantil para diferentes idades, mesas de jogos, ginástica, inclusive para a melhor idade e uma ciclovia que abraça o setor.

Acessibilidade

Pensando no desenho universal, idealizou-se toda uma readequação de níveis de forma a tornar toda a praça acessível. Sempre que possível, os desníveis são vencidos por suaves inclinações (de até 4%) ou quando necessário por rampas. Todo contorno dos canteiros possui arremate em tento de pedra com 5 cm de altura, servindo como guia de balizamento para o auxílio de deficientes visuais ao longo dos trajetos. Informações em braile estarão presentes nos tótens de sinalização, bebedouros e lixeiras. Demais equipamentos contarão com um desenho especial para atender todas as pessoas portadoras de necessidades especiais.

Implantação © HUS

Iluminação

Os atuais postes de luz serão substituído por elementos mais adequados que possam atender diferentes escalas de iluminação, tornando a praça um lugar seguro e atrativo no período noturno. Pontos de luz também estarão presentes abaixo dos bancos, em balizadores na altura do pedestre e no chão ressaltando os elementos de destaque do paisagismo.

Diagrama de Iluminação © HUS

Equipamentos

Todos os equipamentos da praça foram pensados para uma execução simples, barata e que minimize manutenção: os bancos são elementos fixos em concreto moldado in loco, os pergolados deverão ser construídos em madeira certificada com tratamento antifungo e os postes e tótens são em aço inoxidável.

Diagrama de Equipamentos © HUS

Projeto de Plantio

O principal partido para o plantio foi de criar um envelope arbóreo para a praça de forma a garantir uma uniformidade espacial ao seu entorno. Dessa forma, toda a calçada periférica, junto às edificações existentes, foi arborizada com duas espécies nativas: no setor norte, o Pau-formiga (Triplaris americana) e no setor sul o Pau-mulato (Calycophyllum spruceanum). A escolha se deveu não apenas ao aspecto decorativo, mas principalmente à conformação colunar de suas copas, a qual se adequa a situações de pouca área espacial e ao sistema radicular, que se desenvolve de forma profunda, não danificando as calçadas.

Diagrama de Arborização © HUS

Marcando os acessos principais, foram escolhidas espécies de destaque com maior porte e copa mais larga: o Guapuruvu (Schizolobium parahyba) e a Paineira (Chorisia speciosa). Adentrando a praça e dispostas de forma a ressaltar o desenho de piso, temos as Palmeiras-rabo-de-raposa (Wodyetia bifurcata) que com seu porte generoso e copa cheia oferecem sombreamento adequado, sem obstruir a visão do palco em dias de evento. As demais árvores compõem conjuntos específicos cada qual reforçando determinada idéia ou cumprindo determinada função. No acesso norte, por exemplo, pontuou-se renques de Ipês-amarelo (Tabebuia chrysotricha), ressantando a entrada; junto às áreas de estar do setor sul despontam maciços de árvores frutíferas, que atraem pássaros e oferecem uma diversão aos usuários.

Implantação Visual © HUS

Quanto ao plantio arbustivo, foram escolhidas espécies de grande beleza plástica, mas com baixa manutenção e grande resistência: Ave-do-paraíso (Strelitzia reginae), Lírio de São José (Hemerocalis flava), Fórmio verde (Phormium tenax), dentre outras.

De forma geral, o plantio foi idealizado de modo a proporcionar alternância de floração durante todo o ano.

Sustentabilidade

Além de representar um atrativo refrescante para os dias quentes, foi pensado um sistema de reuso de forma que a água que sai dos aspersores é coletada em reservatórios para que seja utilizada para irrigação do plantio e lavagem de pisos. Da mesma forma, a água das chuvas também é coletada nos mesmos ralos junto aos aspersores para a mesma finalidade.

Diagrama de Permeabilidade © HUS

O sistema de iluminação funciona com células fotovoltaicas, coletando energia durante o dia para ser utilizada à noite.

Apesar do projeto contar com uma grande área de piso, necessária para oferecer o máximo de aproveitamento por parte dos usuários, parte dos pisos serão pavimentados com piso semi-permeável, de forma a não comprometer a capacidade de drenagem natural da área.

 

 

 

 

Ficha técnica:

  • Arquitetos:HUS Arquitetura, Urbanismo e Desenho da Paisagem
  • Ano: 2011
  • Área construída: 21600 m²
  • Endereço: Colinas do Anhanguera Santana de Parnaíba Brasil
  • Tipo de projeto: Urbanismo
  • Operação projetual:Intervenção
  • Status:Concurso
  • Características Especiais: Sustentável
  • Materialidade: Pedra
  • Estrutura: Concreto
  • Localização: Colinas do Anhanguera, Santana de Parnaíba, Brasil
  • Implantação no terreno: Isolado

Equipe:

  1. Autores: Arquitetos Gustavo Garrido, Marcelo Wendel, Marco Peixe D`Elia e Ricardo Marmorato.
  2. Colaboradores: Arq. Anariá Ladeira, Arq. Ricardo Bozza (estruturas), estagiária Natalia Schneider.

 

Informação Complementar:

  1. Imagens de maquete eletrônica: Esphera Virtual.

Cita:Joanna Helm. "1° Lugar - Concurso de projetos: Praça Colinas de Anhanguera / HUS " 15 May 2013. ArchDaily Brasil. Acessado . <http://www.archdaily.com.br/26700/1-graus-lugar-concurso-de-projetos-praca-colinas-de-anhanguera-hus>
comments powered by Disqus