CRAM. Fundação para a conservação e recuperação de animais marinhos / Hidalgo Hartmann

As novas instalações da Fundação CRAM se localizam no antigo campo de golfe do Prat de Llobregat na Área de Equipamentos da via litorânea com uma superfície de atuação de aproximadamente 20.000m².

Contexto

A nova intervenção encontra-se entre a Casa Ricardade António Bonet Castellana ao norte, e o Clube de Golfe de José António Coderch e Robert Terradas Via ao sul, a poucos metros das novas edificações. Entre tão ilustres vizinhos, o projeto se posiciona desde uma postura de respeito tanto às edificações existentes, quanto à magnífica localização ao qual se alia para fundir-se em uma unidade indissolúvel.

© Filippo Poli

Um centro sem referentes, pioneiro na Europa, que incorpora os conhecimentos do CRAM para conseguir instalações que permitem desenvolver de maneira eficaz as três linhas básicas de atuação da fundação: por um lado a clínica e resgate de espécies marinhas protegidas que encalham na costa para sua posterior reintrodução; por outro lado, as tarefas de conservação, investigação e formação e por último as ações de sensibilização social sobre o estado do meio marinho e sua problemática.

© Filippo Poli

O projeto busca o equilíbrio entre o programa clínico de investigação e o programa público, com os mínimos meios possíveis para conseguir que os condicionantes da atividade se convertam nos elementos fundamentais na hora de definir os traços arquitetônicos e volumétricos de todo o conjunto.

Esta decisão persegue uma arquitetura que busca o ponto equidistante entre sua condição funcional e sua condição representativa como que edifício público.

© Filippo Poli

Cada um dos três edifícios que compõem o complexo expressa em sua forma a atividade que nela se desenvolve.

© Filippo Poli

O edifício clínico e de recuperação aparece-nos como um edifício aberto à paisagem, permeável no sentido norte-sul e hermético no sentido leste-oeste. Permeável ao corredor verde paralelo ao mar com suas duas marquises que não dependem apenas do terreno e hermético à agitação da praia no verão. Aberto às vistas cruzadas entre os usuários e os visitantes sem que seus caminhos se cruzem. O resto de edificação se funde no terreno em uma operação de topografia cirúrgica para acabar de formar parte dele.

© Filippo Poli

O edifício de administração recupera a antiga creche para alojar o programa de administração e de divulgação e sensibilização.

© Filippo Poli

O edifício de estudos post-mortem parece-nos como um volume compacto e hermético que guarda com zelo a atividade que no seu interior se desenvolve. Logo ao cruzar a porta opaca, no hall, uma janela nos oferece a visão do interior da sala onde se realizam as autópsias dos animais marinhos para procurar as causas de sua morte e consequentemente evitarem-las no futuro. Uma sala com iluminação zenital proveniente da clarabóia corrida tangente às paredes que dá ao espaço de uma luz constante e difusa.

Ficha técnica:

  • Arquitetos:Hidalgo Hartmann
  • Ano: 2010
  • Área construída: 10000 m²
  • Tipo de projeto: Institucional
  • Status:Construído
  • Materialidade: Concreto
  • Estrutura: Concreto
  • Localização: Barcelona, Espanha
  • Implantação no terreno: Isolado

Equipe:

  1. Arquitetos: Hidalgo Hartmann / Jordi Hidalgo Tané (arquiteto), Daniela Hartmann (designer de interiores)
  2. Engenheiros: Arquitècnics, Saura Josep Maria Pla
  3. Colaboradores: Torrent Rafel Serra, Technical Architect, Ana Roque

Cita:Thiago Braga. "CRAM. Fundação para a conservação e recuperação de animais marinhos / Hidalgo Hartmann" 15 May 2013. ArchDaily. Accessed . <http://www.archdaily.com.br/25097/cram-fundacao-para-a-conservacao-e-recuperacao-de-animais-marinhos-hidalgo-hartmann>
comments powered by Disqus